Douglas e o contrato que termina em junho: «Quero é que este problema de saúde pública seja resolvido»

Guarda-redes do V. Guimarães à conversa com os jornalistas por videoconferência

Douglas, um dos capitães do Vitória, e porta-voz do plantel. O guarda-redes falou esta quinta-feira com os jornalistas por videoconferência e relatou como está a viver estes tempos em casa, aproveitando também para pensar no futuro.

A favor do reatamento da competição quando isso for possível, Douglas reforça que "os atletas querem sempre acabar o que começou" e não vê problema nenhum no facto do seu contrato terminar a 30 de junho, podendo a época prolongar-se mais do que isso.

Aliás, o brasileiro regista que quer continuar a jogar, apesar dos seus 37 anos, diz-se "muito tranquilo" em relação à questão do contrato e manifesta a sua vontade em continuar no V. Guimarães, clube que representa há 10 anos.

- Como está a viver toda esta situação?
"No início, sou sincero, não tinha ideia da gravidade da situação, mas depois começamos a ver os alertas e a receber mais informação, nomeadamente pelo departamento médico do clube e aí acabámos por assimilar melhor tudo. É tudo muito estranho. Uma situação nova destas e logo num momento em que estávamos bem na época, numa boa fase individual e coletiva do clube, mas acima de tudo está a família, a sua saúde, dos companheiros, dos adeptos, enfim do Mundo inteiro."

- Como tem sido o seu dia-a-dia?
"Temos recebido diariamente o plano de treinos e dentro do que é possível cumprir tenho feito tudo. Tenho a sorte de a minha esposa ser da educação física e isso ainda ajuda mais, mas dentro do possível procuro manter a forma com vários exercícios e também tenho aqui a bicicleta estática que ajuda muito."

- Acha que para um profissional de futebol é mesmo possível manter a forma física desta forma?
"Por mais que a gente se cuide, claro que não é a mesma coisa. Não temos o campo inteiro e a relva. Temos saudades disso, claro, e acabamos sempre por perder um pouco a forma, mas acredito que cumprindo estes planos de treino que nos têm facultado dê para contrariar um pouco isso e quando voltar vai custar um pouco menos. Ficando este tempo todo sem fazer nada é que seria pior."

- Qual é a sua opinião em relação à forma como se deve concluir esta época?
"Os atletas querem sempre terminar o que começou. Claro que desejamos voltar o mais rápido possível, até porque isso seria sinal de que as coisas tinham melhorado, mas o futebol tem os seus responsáveis e as pessoas competentes para resolver isso. Acima de tudo está saúde de todos e isso é que é fundamental preservar. Temos de saber respeitar todas as decisões que forem tomadas entretanto pelas entidades competentes."

- O Douglas é um dos jogadores que termina contrato a 30 de junho e isso pode vir a ser um problema caso a época se prolongue. Está preocupado?
"Nesse momento o pensamento é que este problema de saúde pública seja resolvido a nível Mundial que é o mais importante. Essa questão do contrato é para ser resolvida no momento certo e vai ser de certeza. O que quero é voltar aos treinos e trabalhar no máximo pelo clube. Estou muito tranquilo em relação a isso, até porque ao longo destes anos todos o Vitória sempre foi muito correto comigo e isso é o mais importante."

- Mas já decidiu o que quer fazer no futuro próximo?
"Claro que estando em casa a gente pensa sempre mais na vida e no futuro, mas a esse respeito a minha decisão é clara e quero continuar a jogar, até pelo que tenho feito esta época em que me tenho sentido muito bem. Não sinto dificuldades em fazer o meu trabalho nos treinos e nos jogos. A maior experiência até nos ajuda a manter o bom nível e é isso que sinto."

- O seu grande desejo é permanecer no clube?
"Claro que sim. A minha vontade é a de continuar no Vitória e espero que isso aconteça, mas agora a saúde de todos está em primeiro lugar e a seu tempo isso será resolvido.

- Já houve algum contacto ou conversa no sentido de tratar da renovação do contrato?
"Nos últimos tempos não temos falado sobre isso, pois as pessoas do clube também estão mais preocupadas com outras situações, o que é normal nesta fase, mas repito, estou tranquilo e não tenho problemas nenhuns com isso."

- Como é que acha que será a reação dos adeptos quando o futebol regressar, depois desta pandemia do coronavírus?
"A paixão vai sempre existir, mas essa é uma pergunta que também fazemos neste momento. Quando o futebol voltar vamos ver como será a reação dos adeptos e acredito que com o tempo a paixão pelo jogo será a mesma e voltaremos a sentir isso."

Por António Mendes
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de V. Guimarães

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.