Record

Jhonatan assinou com o V. Guimarães por quatro temporadas

Daniel Coracini, empresário do jogador, revelou que o guardião aceitou o convite do emblema vitoriano

• Foto: Hugo Monteiro
O V. Guimarães selou o acordo com o guarda-redes Jhonatan na passada sexta-feira, com a assinatura do contrato que tem a validade de quatro temporadas. Ao abrigo do regulamento em vigor, ontem, segunda-feira, a SAD liderada por Júlio Mendes notificou a Liga de Clubes da formalização do vínculo, dando igualmente conhecimento ao Moreirense, com quem o jogador tem contrato em vigor até ao final da época.

A SAD do V. Guimarães decidiu efectivar a contratação de Jhonatan depois de ter recebido o devido aval do departamento jurídico. Em causa está o facto do Moreirense ter revelado, num comunicado emitido há uma semana, que o contrato do guarda-redes termina apenas em 2020, depois de ter decidido accionar, em Março, uma cláusula de opção que prevê a extensão do vínculo ainda em vigor por mais um ano.

A assinatura do contrato que liga Jhonatan ao Vitória por quatro temporadas aconteceu na sexta-feira passada, depois da já anunciada viagem do empresário do jogador, Daniel Coracini, que pretendia marcar presença em Portugal para resolver em definitivo o destino do seu representado. O agente e o guarda-redes reuniram-se com os dirigentes vitorianos para acertar os últimos termos do contrato, rubricando posteriormente o documento que será remetido à Liga de Clubes.

"O Jhonatan não tinha mais interesse em permanecer no Moreirense, acha que precisa de dar um passo maior na carreira, por isso aceitou o convite que lhe foi feito pelo V. Guimarães. Chegamos a um acordo que permitiu a ligação por quatro épocas", confirmou Daniel Coracini. O empresário sublinhou a ideia de que este "era o passo que o Jhonatan queria dar na sua carreira, com a certeza de que pode evoluir num clube maior. Ele está feliz com este desenlace".

O acordo para a contratação de Jhonatan por parte do V. Guimarães, adiantado em tempo oportuno pelo nosso jornal, esteve na origem de uma intervenção pública da SAD do Moreirense, que revelou ter exercido a opção de extensão do contrato do guarda-redes até 2020. Os cónegos adiantaram que efectivaram o direito de renovar o contrato, através de uma carta entregue em mão ao jogador e remetida por correio registado com aviso de recepção. Além disso, a SAD do Moreirense solicitou à Liga de Clubes o averbamento automático da renovação do contrato e avisou os clubes da 1.ª e 2.ª Liga dos passos que deu, indicando que quem quisesse contratar o guarda-redes teria de pagar o valor da rescisão, de 1,5 milhões de euros.

Para o agente de Jhonatan, a cláusula accionada pelo Moreirense "não é válida". "Nós certificamo-nos juridicamente disso antes de assinar contrato com o Vitória. Entendemos que o Jhonatan tem direito de optar pelo clube que entende ser melhor para a sua carreira, por isso é que se comprometeu com o V. Guimarães. Estamos seguros que ele podia assinar por outro clube. Conversamos com pessoas que têm o conhecimento jurídico necessário", vincou Daniel Coracini.

No final do mês de Fevereiro, o empresário esteve reunido com os dirigentes do Moreirense, concretamente com o presidente Vítor Magalhães. E, assegura, logo na altura deu conta que o guarda-redes "não pretendia" continuar no clube. O Moreirense apresentou uma proposta para a renovação do contrato actual por mais dois anos, que Daniel Coracini entendeu rejeitar "por haver possibilidades mais vantajosas". E, imediatamente nesse momento, o Moreirense informou que ia accionar a cláusula que entende ter validade para estender o contrato de Jhonatan por mais um ano. "Não foi possível um acordo."

No seguimento da falta de um entendimento, a SAD do Moreirense decidiu accionar a cláusula da polémica, entregando em mãos uma carta a Jhonatan dando-lhe conta disso mesmo, além de ter procedido ao ao envio por correio registado, com aviso de recepção, carta essa que foi recepcionada pelo jogador no dia 4 de Março. Daniel Coracini confirma que o guarda-redes assinou o aviso de recepção, mas enviou uma carta ao Moreirense a dar conta que não tinha interesse em continuar no clube. O guarda-redes também comunicou a mesma decisão à Liga de Clubes, numa carta enviada àquele organismo em que apresentou os seus argumentos para reivindicar que o seu contrato termina no final desta época e não em 2020.
Por Bruno Freitas
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de V. Guimarães

Notícias

Notícias Mais Vistas