SAD nem equaciona casa emprestada

Minhotos avançaram com providência cautelar para revogar a interdição do estádio

• Foto: Simão Filho

O Vitória de Guimarães nem sequer equaciona a possibilidade de ter de recorrer a casa emprestada na receção ao Chaves, na jornada que se avizinha, e interpôs uma providência cautelar no Tribunal Arbitral de Desporto (TAD), de modo a revogar a interdição do Estádio D. Afonso Henriques.

Recurso concluído menos de 24 horas depois de a SAD ter sido notificada da sanção aplicada pelo Conselho de Disciplina (CD) da FPF e com o único objetivo de suspender o castigo aplicado pelo órgão federativo.

A validação desta manobra jurídica está agora dependente da decisão que o TAD deverá proferir até ao jogo com os flavienses. Contudo, mesmo perante a possibilidade de a Liga de Clubes ter de indicar outro recinto para se realizar a partida frente ao Chaves, os responsáveis minhotos nem sequer alimentam outro cenário que não seja o desenrolar da próxima jornada em Guimarães.

"O nosso departamento jurídico interpôs uma providência cautelar com vista a revogar a interdição do nosso estádio e esperamos que o Tribunal Arbitral tome uma decisão o mais rápido possível", referiu Armando Marques, administrador da SAD vitoriana, à Antena 1, para logo de seguida manifestar-se confiante na suspensão do castigo: "Não nos passa pela cabeça outra coisa que não seja receber o Chaves no Estádio D. Afonso Henriques, até porque a organização dá muito trabalho, movimenta muita gente e muitos meios."

Por Pedro Malacó
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de V. Guimarães

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.