Julio Velázquez: «Neste momento, todos os jogos são de capital importância»

Treinador do V. Setúbal afirma que "todos os jogos são de capital importância" até ao final de modo a garantir a manutenção

• Foto: LUSA / EPA

O Vitória de Setúbal perdeu (2-0) na visita ao reduto do Vitória de Guimarães, em jogo da 29.ª jornada da Liga NOS, num encontro em que o treinador Julio Velázquez viu a sua equipa terminar a partida reduzida a 8 (!) elementos.

No final do encontro o técnico sadino lamentou a prestação e descontrolo emocional da sua equipa, apontando agora para os jogos que se seguem até ao final do campeonato, tendo em vista o objetivo da equipa, a manutenção.

"Neste momento, todos os jogos são de capital importância. Estávamos a fazer algumas coisas bem e muitas coisas mal. Sou o máximo responsável [da equipa]. Hoje, vi as declarações de antevisão do treinador do Gil Vicente [Vítor Oliveira], e há coisas que não estão bem feitas. Não podíamos pensar que a manutenção estava conseguida. Estamos numa dinâmica má, com jogos de três em três dias", apontou o treinador.

Expulsão de Leandrinho "exagerada"

"Há situações que, emocionalmente, nos custam. O Leandrinho, quando é expulso, não vê o jogador do [Vitória de] Guimarães. Achei o vermelho exagerado. Dói muito. Mas temos de trabalhar mais. Houve jogadores que trabalharam de forma excecional, mas não fomos equipa o suficiente. Estamos a fazer as coisas mal, dentro e fora de campo. Não estamos no caminho certo."

Dinâmicas diferentes podem 'tramar' V. Setúbal

"Poderíamos ter conseguido um ponto ou três pontos, porque o jogo estava equilibrado. O adversário faz um golo contra a corrente, algo que já aconteceu com o Santa Clara [empate 1-1] e com o Boavista [derrota por 3-1]. Há equipas que estão a lutar connosco em dinâmica ascendente e nós estamos em dinâmica descendente."

Número reduzido de jogadores em campo

"Neste jogo, temos de jogar 90 minutos 11 contra 11. Não conseguimos jogar os 90 minutos 11 contra 11. Mas são situações que acontecem no futebol, com várias equipas. Quando uma equipa está com imensos problemas, é ainda pior."

Como está a luta pela manutenção

"Para conseguirmos o nosso objetivo, como outras sete equipas da I Liga, temos de correr mais do que o adversário durante 97 minutos. A partir daí, há situações difíceis que nos têm acontecido nos últimos jogos não são por acaso, por razões emocionais."

Preparação para o jogo diante do Paços de Ferreira

"Não é uma questão de trabalho mental", terminou.

Por Record com Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de V. Setúbal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0