Sem dependência de emprestados

A aposta da direção será limitar o número de jogadores no plantel cedidos pelos grandes

• Foto: Luís Manuel Neves

O V. Setúbal está determinado a alterar, já na temporada 2018/19, a política de empréstimos que foi seguida nas épocas anteriores na construção dos plantéis. A administração presidida por Vítor Hugo Valente pretende fazer da chegada de jogadores cedidos pelos denominados grandes (FC Porto, Benfica e Sporting) uma exceção e uma situação pontual de modo a dar prioridade total à valorização dos seus próprios ativos.

A intenção dos sadinos passa por contrariar esta espécie de dependência dos atletas emprestados que tem existido. Apesar desse objetivo estabelecido, a direção do Vitória – que entrou em funções no passado mês de dezembro – não exclui a possibilidade de recrutar jovens talentos noutros clubes, conforme garante a Record fonte do clube. "Poderá, eventualmente, chegar um jogador de um desses clubes, mas não dois ou três do mesmo como já aconteceu no passado recente. Se isso continuasse a acontecer iria desvirtuar tudo aquilo que defendemos. Não quer dizer que não haja empréstimos, agora não podemos é ser ‘empréstimo-dependentes’. Só assim poderemos gerar as nossas mais-valias", explica a referida fonte.

Posto isto, o V. Setúbal não vai voltar a ter na próxima época uma situação idêntica à que teve, por exemplo, em 2017/18. Recorde-se que o plantel orientado por José Couceiro contava com três jogadores cedidos pelo Benfica: os defesas Patrick Vieira (atuou em 19 partidas oficiais) e César (apenas seis) e ainda o médio João Teixeira (fez 30 jogos).

Por Ricardo Lopes Pereira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de V. Setúbal

Notícias

Notícias Mais Vistas