As razões que levaram o 1.º Dezembro a receber o Benfica no Estoril

Lei do combate à violência e transmissão televisiva na base da mudança de estádio

• Foto: Pedro Ferreira

O 1.º Dezembro foi obrigado a receber o Benfica fora do seu estádio por causa da lei do combate à violência nos espetáculos desportivos. O diploma, que é de 2009, estabelece os termos em que um evento deve ser classificado de "risco elevado", o que implica que sejam respeitadas uma série de exigências. Além disso, o Campo Conde de Sucena, casa do 1.º Dezembro, não tinha condições para a transmissão televisiva da partida referente à 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, algo que já foi possível no Estoril.

Para ser classificado de "risco elevado", conforme se pode ler no artigo 12 da Lei 39/2009, basta que "o número de espetadores previstos perfaça 80 % da lotação do recinto desportivo" ou que "o número provável de adeptos da equipa visitante perfaça 20 % da lotação do recinto desportivo". Algo que, olhando para os 1.000 lugares do Campo Conde de Sucena, iria acontecer.

Dessa forma, o 1.º Dezembro seria obrigado a numerar todos os lugares do seu estádio, fazer a "separação física dos adeptos", controlar "a venda de títulos de ingresso, com recurso a meios mecânicos, eletrónicos ou eletromecânicos" (isto é, ter torniquetes), entre outras alterações.

Além disso, e como a receita da transmissão televisiva acaba por ser significativa para um clube do Campeonato Portugal Prio, o emblema de Sintra optou por alugar o Estádio António Coimbra da Mota, passando ao clube da Linha todas as obrigações referentes à organização do jogo. 

Há 13 anos, quando defrontou o Sporting na Taça de Portugal, o 1.º Dezembro jogou em casa. Mas essa partida não foi transmitida em direto na TV e a lei de combate à violência nos espetáculos desportivos ainda não estava em vigor.

Na época passada, aconteceu a mesma situação com o Vilafranquense. Depois de ter sido sorteado para jogar com o Sporting, o clube de Vila Franca de Xira mudou o local do jogo para o Estoril. No sábado, as acreditações de jornalistas ainda tinha marcas desse encontro: podia ler-se "esta credencial é propriedade da UD Vilafranquense".

A mudança do palco do jogo gerou algumas críticas, até porque o Benfica cedeu a sua parte da receita ao 1.º Dezembro. Augusto Inácio, no programa 'Play-off', foi um dos questionou essa mudança.

A credencial do 1.º Dezembro-Benfica
54
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Taça de Portugal

Sporting pode jogar na Póvoa

Varzim tem jogado em casa emprestada devido às obras no seu estádio, mas não está excluída a possibilidade de receber a visita do Sporting na Póvoa

Notícias

Notícias Mais Vistas