Real-Olhanense, 2-0: Passagem aos 'oitavos'... com muita cabeça

Sabry e Rúben Marques 'despacharam' equipa da 2.ª Liga

• Foto: Fernando Ferreira

Dois golos de cabeça marcados por Sabry e Rúben Marques colocaram o Real, do Campeonato de Portugal Prio, nos oitavos de final da Taça de Portugal, deixando pelo caminho o Olhanense, da 2.ª Liga.

Valeram então os golos apontados de cabeça pelos médios Sabry (30 minutos) e Rúben Marques (47'), pelo que a 'festa' da Taça de Portugal continua na rota do Real.

A formação da casa, que lidera a série G do Campeonato de Portugal, com 25 pontos, já fez 'tombar' três adversários na Taça de Portugal, precisamente o Arouca (3.ª eliminatória), o São Martinho (2.ª ronda) e os açorianos do Rabo de Peixe (1.ª eliminatória).

O primeiro remate perigoso da contenda foi desferido por Luís Mota, aos seis minutos, ligeiramente descaído sobre o lado direito do ataque do Massamá. Aos 11 minutos, Doudou, avançado da turma algarvia, respondeu com um remate rasteiro e cruzado do lado esquerdo da baliza defendida por Patrick Costinha.

Ambos os conjuntos atuaram de forma aberta e com o mesmo dispositivo tático (4-3-3), mas o relvado, muito encharcado, impediu a normal trajetória da bola: em algumas zonas ganhava muita velocidade, noutras ficava presa.

Aos 20 minutos, os adeptos da equipa da casa reclamaram grande penalidade, mas Nélson Mendes caiu após tropeçar no guarda-redes Ricci, sem que este nada tenha feita para o derrubar. Um lance fortuito, com o Real a assumir o domínio da partida.

À passagem da meia hora de jogo, e na sequência de um pontapé de canto apontado na esquerda por Jorge Bernardo, o cabo-verdiano Sabry saltou mais do que toda a gente e encostou de cabeça para abrir o marcador.

Uma vantagem justa que premiou a equipa de Massamá, a que mais atacou e melhor futebol praticou até ao intervalo, apesar de Doudou, aos 39 minutos, ter desperdiçado uma boa oportunidade de empatar para o Olhanense.

A segunda parte arrancou praticamente com o segundo golo da equipa do concelho de Sintra, numa boa cabeçada do médio, e capitão, Rúben Marques, a dar o melhor seguimento ao cruzamento, na direita de Jorge Bernardo.

O conjunto de Olhão subiu no terreno, criou algumas oportunidades para marcar, por Doudou e o reentrado Salim Cissé, mas o Real manteve a sua coesão defensiva e também dispôs de chances de aumentar a vantagem.


Jogo no Complexo Desportivo Real Sport Clube, em Massamá.

Real-Olhanense: 2-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Sabry, 30 minutos.

2-0, Rúben Marques, 47.

Equipas:

Real: Patrick Costinha, Jorge Bernardo, André Almeida, Nuno Tomás, Zé Pedro, Rúben Marques, Brash, Sabry (Matheus Costa, 78), Luís Mota (Érico, 73), Nélson Mendes (Guti, 87) e Palacios.

(Suplentes: Gonçalo Ferreira, Guti, Érico, Matheus Leal, Matheus Costa, Diogo David e Thabo Cele.)

Treinador: Filipe Martins.

Olhanense: Matteo Ricci, Jean Coubronne, Pedro Eira, Tiago Duque, Kiki (Edgar Abreu, 74) Tiago Barros, Lorenzo Galassi, Federico Virga (Salim Cissé, 60), Doudou, Aldair (Jorge Araújo, 79) e Aguilar.

(Suplentes: Léo, Redolfi, Edgar Abreu, Carlos Freitas, Jorge Araújo, Salim Cissé e Fabrício).

Treinador: Bruno Baltazar.

Árbitro: Anzhony Rodrigues (AF Madeira).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Zé Pedro (25 minutos), Rúben Marques (47), Federico Virga (58), Tiago Duque, (62), Lorenzo Galassi (71) e Matteo Ricci (75),

Assistência: cerca de 700 espectadores.

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Taça de Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.