Divanei viveu meses dramáticos: abandonado pelo clube e sem dinheiro para pagar operações

Antigo jogador do Sporting deixou duras críticas aos sérvios do Ekonomac

No arranque da temporada, e depois da sua segunda passagem pelo futsal português, Divanei trocou o Sporting pelos sérvios do Ekonomac em busca de uma nova experiência na carreira, provavelmente 'aliciado' pelos montantes pagos pelo emblema dos Balcãs, mas tudo acabou em pesadelo quando, em novembro, se lesionou gravemente.

Aí, segundo detalhou o brasileiro numa publicação de Instagram (onde partilhou o vídeo do momento da lesão e também várias fotos dos tratamentos feitos), a postura do clube mudou por completo. Sentiu-se abandonado e acabou por ter de procurar tratamentos por conta própria em Portugal, tudo isto sem receber salário nos últimos cinco meses...

Leia a publicação na íntegra:

"Agora que chegou ao fim o meu contrato com o clube Ekonomac, posso falar um pouco de tudo que aconteceu desde a minha lesão. Infelizmente existem clubes que tratam jogadores como objetos. "Quebrou, não presta mais" e isso aconteceu comigo... Desde a minha lesão na Ronda de Elite da Liga dos Campeões, em Barcelona no dia 18 de novembro... Pensei que ia ter todo o apoio do clube, só que isso não aconteceu. E a partir desse dia tudo mudou. As pessoas em quem confiei deram-me as costas. Fui para Lisboa procurar um tratamento digno com pessoas profissionais. Tive que pagar todos os meus exames e tratamentos e ainda tive que pedir dinheiro emprestado a amigos para poder pagar a cirurgia, pois nem isso o clube se propôs a pagar. E o mais grave ainda foi não terem me pago durante todo esse tempo. Cinco meses sem receber, ter que pedir dinheiro emprestado para poder pagar os gastos e minha passagem para o Brasil. Por isso venho aqui pedir a vocês presidentes, diretores, treinadores... Não tratem os seus jogadores como objetos. Largamos as nossas famílias, amigos e o nosso conforto para ir em busca de uma vida melhor. Eu sempre fui profissional em todos os clubes que passei e nunca abandonei as minhas responsabilidades. Por isso, sejam profissionais e responsáveis quando contratarem um atleta. Espero que a justiça seja feita e que vocês honrem com o prometido".

Ver esta publicação no Instagram

Agora que chegou ao fim meu contrato com o clube @kmfekonomac da Sérvia eu agora posso falar um pouco de tudo que aconteceu desde a minha lesão.Infelizmente existem clubes que tratam jogadores como objetos “quebrou não presta mais” e isso aconteceu comigo...desde a minha lesão na ronda de Elite da Liga dos campeões em Barcelona no dia 18 de novembro...pensei que eu ia ter todo o respaldo do clube...só que isso não aconteceu...e a partir desse dia tudo mudou...as pessoas em quem eu confiei me deram as costas...fui para Lisboa procurar um tratamento digno com pessoas profissionais...eu tive que pagar todos meus exames e tratamentos e ainda tive que pedir dinheiro emprestado para amigos para poder pagar minha cirurgia pois nem isso o clube se propôs a pagar...e o mais grave ainda foi não terem me pagado durante todo esse tempo...5 meses sem receber,ter que pedir dinheiro emprestado pra poder me virar com os gastos,e minha passagem para o Brasil ...Por isso venho aqui pedir a vocês presidentes,diretores,treinadores...não tratem seus jogadores como objetos...largamos nossas famílias,amigos,nosso conforto pra ir em busca de uma vida melhor...eu sempre fui profissional em todos os clubes que passei e nunca abandonei minhas responsabilidades...por isso sejam profissionais e responsáveis quando contratar um atleta Espero que a justiça seja feita e que vocês honrem com o prometido #voltareiaindamaisforte #deusefiel

Uma publicação partilhada por Divanei (@divanei) a

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futsal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.