Record

Pedro Costa: «Deixei a porta aberta no Benfica»

ENTREVISTA EXCLUSIVA RECORD

Pedro Costa: «Deixei a porta aberta no Benfica»
Pedro Costa: «Deixei a porta aberta no Benfica» • Foto: PEDRO FERREIRA

Depois da experiência no Playas Castellón, o internacional rumou ao Japão. E logo na primeira época no Nagoya Oceans ganhou a Liga e a Supertaça.

RECORD – Passou oito temporadas no Benfica e conquistou tudo o que havia para vencer, incluindo a UEFA Futsal Cup. Estava à espera de continuar de águia ou peito?

PEDRO COSTA – Estava em final de contrato e o clube não tinha obrigação de exercer opção, até porque o ano transato já o tinha feito. A época começou a aproximar-se do seu final e eu apercebi-me que não havia intenção do clube em renovar comigo. Tive de zelar pelos meus interesses e comecei a procurar outras alternativas. Saí a bem do Benfica e deixei a porta aberta. Apoio o Benfica, tenho um carinho enorme pelo clube e por todos os que me acompanharam. Como disse, foram 8 anos. É muito tempo, são muitas memórias e recordações. E guardo-as todas com bastante carinho. Foi o Benfica que me projetou a nível nacional e internacional.

R – Depois de um ano no Playas Castellón (Espanha), decidiu abraçar um novo projeto no estrangeiro, desta vez no Japão. Que balanço faz da sua primeira época no Nagoya Oceans?

PC – Extremamente positivo. Os prós são bem maiores que os contras. A adaptação foi excelente e a nível social foi uma vitória enorme. A vida de emigrante está, agora, bastante facilitada com a Internet. Falo com os meus familiares e amigos e só sinto falta da presença física das pessoas. Coletivamente, ganhámos a Liga e a Supertaça. Foi um ano muito bom, mas, como em tudo, procuramos sempre mais.

Leia esta entrevista na íntegra na edição impressa de Record desta quarta-feira

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futsal

Notícias

Notícias Mais Vistas

M