Portugal repete derrota pela margem mínima com Espanha

Derrota por 1-0 no segundo particular realizado diante de 'nuestros hermanos'

• Foto: Peter Spark / Movephoto

A seleção portuguesa de futsal voltou esta terça-feira a perder diante da Espanha, por 1-0, somando o segundo desaire tangencial em outros tantos encontros particulares realizados esta semana.

Perante nova casa cheia no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, a 'roja' decidiu a contenda por intermédio do pivot Juan Emílio, aos 30 minutos, oferecendo o 23.º triunfo em 29 confrontos com as 'quinas', adversário que já tinha batido na segunda-feira, por 2-1.

Os campeões europeus encerraram a fase preparatória para a qualificação do Mundial2020 da Lituânia com duas vitórias, quatro empates e quatro derrotas, antes de medirem forças com Letónia, Alemanha e República Checa no grupo 8 da zona europeia, em Viseu, entre 22 e 27 de outubro.

Tal como sucedeu no primeiro desafio, as duas seleções denotaram intensidade em cada disputa de bola, embora com sinal mais da 'roja' no controlo das operações e nas investidas à baliza de André Sousa - a única novidade no 'cinco' inicial luso.

Adolfo Fernández (08) e Francisco Solano (09) ameaçaram na cara do guarda-redes português, numa fase em que os portugueses demonstravam pouca criatividade a sair para o ataque.

Jorge Braz fez alterações e os seus jogadores começaram a puxar dos galões de campeão europeu, desbravando espaço nas costas do bloco espanhol pelos pés de Márcio.

Aos 12, o ala serviu Tunha, que rematou cruzado ao poste, para um minuto depois desviar de calcanhar um passe de Ricardinho, que Jesús Herrero controlou sem dificuldades.

No reatamento, André Sousa e Jesús Herrero passaram o testemunho a Vítor Hugo e Juanjo, mas o filme do jogo não mudou: Carlos Ortiz quase coroou o recorde de 181 internacionalizações por Espanha aos 25, dois minutos antes de o guardião nacional negar festejos a Solano, numa dupla-defesa a meias com o poste.

A insistência forasteira teve efeitos práticos a 10 minutos do fim, num remate rasteiro à meia-volta de Juan Emílio, que se revelou decisivo para as contas finais.

Portugal tardava em conseguir soltar-se das amarras contrárias, à exceção de uma tentativa de Tiago Brito (27), ala que surgiu na quadra como guarda-redes avançado para os últimos três minutos.

Nesse período, o volume de oportunidades subiu, mas Juanjo destacou-se na oposição ao ataque luso, segurando o triunfo dos vice-campeões europeus.

Jogo no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, em Matosinhos.

Portugal - Espanha, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

0-1, Juan Emílio, 30 minutos.

Equipas:

- Portugal: André Sousa, Pedro Cary, Bruno Coelho, João Matos e Ricardinho. Jogaram ainda André Coelho, Miguel Ângelo, Nílson, Fábio Cecílio, Márcio, Pany Varela, Vítor Hugo, Tiago Brito e Tunha.

Treinador: Jorge Braz.

- Espanha: Jesús Herrero, Marc Tolrà, Aicardo, Adolfo Fernández e Juan Emílio. Jogaram ainda Carlos Ortiz, Rafael García 'Bebé', Francisco Solano, Ángel Velasco 'Lin', Fernando Sancho 'Fernan', Rafa Usín, Andrés Alcántara 'Andresito', Juanjo e Raúl Campos.

Treinador: Fede Vidal.

Árbitros: Cristiano Santos (Portugal) e Eduardo Coelho (Portugal).

Ação disciplinar: Nada a assinalar.

Assistência: 3.877 espetadores.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Futsal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.