Ana Leite contrata 'reforços' de casa

Atacante terá cerca de 30 familiares e amigos nas bancadas que prometem puxar por Portugal

• Foto: Luís Manuel Neves

Amanhã, o Estádio Vijverberg, em Doetinchem, será um verdadeiro furacão de emoções para a comitiva da Seleção Nacional, em especial para Ana Leite. Para além de se tratar da histórica estreia de Portugal no Campeonato da Europa de futebol feminino, nas bancadas estarão cerca de 30 adeptos muito especiais que já aceleram o coração da avançada.

"Fico muito contente por saber que pessoas de quem eu gosto estarão a ver o jogo, como a minha família e os meus amigos. Apoiam-me sempre bastante", começou por dizer, num português um pouco tímido, na final do segunda sessão de trabalho em solo holandês. Tudo tem uma explicação: filha de emigrantes portugueses, Ana Leite nasceu na Alemanha e foi lá que sempre viveu. As visitas ao nosso país, mais precisamente a Lousada (Felgueiras), resumiam-se às férias de verão, período onde aproveitava para matar saudades de parte da família separada pelas circunstâncias da vida.

A outra parte vive em Isselburg-Anholt, uma pequena localidade junto à fronteira, a escassos 20 quilómetros do palco onde as ‘Guerreiras’ vão dar o pontapé de saída na competição, diante de uma Espanha que impõe imenso respeito. "É uma equipa muito forte, que troca muito bem a bola. É isso que nós teremos de as impedir de fazer", alertou, garantindo: "O estágio está a correr muito bem, temos feito um bom trabalho nos treinos e nos jogos particulares e penso que estamos muito bem preparadas."

Golos? A prioridade é a equipa

Fã de Cristiano Ronaldo, Ana Leite sonha, obviamente... com golos. Com 42 internacionalizações, a atacante ainda procura a estreia a marcar com a camisola das quinas. Consegui-lo amanhã "seria muito bom", mas a prioridade é outra. "O mais importante é que Portugal consiga obter um bom resultado", sublinhou.

No Sporting para... estudar

Apesar de ter "a cabeça na Seleção e neste Europeu", Ana Leite já definiu o futuro e depois de toda uma carreira na Alemanha, onde representou vários clubes (como o Bayer Leverkusen, na época passada), vai , pela primeira vez, jogar em Portugal. A avançada assinou um contrato de um ano com o Sporting, mas a sua vida não irá resumir-se ao futebol. Paralelamente, irá fazer um semestre na Universidade Católica, com o objetivo de, posteriormente, terminar o curso de Educação Física, na Alemanha.

Polivalência como trunfo

À semelhança de várias jogadoras presentes na convocatória de Francisco Neto, como Ana Borges e Cláudia Neto, Ana Leite também faz da polivalência um trunfo. "É muito importante para um treinador ter jogadoras que possam atuar em várias posições, pois o jogo não se torna tão estático", frisou a jogadora, que na Seleção tem sido sempre utilizada como ponta-de-lança, mas que na última temporada, no Bayer Leverkusen, foi subindo e descendo no terreno, ora como lateral ora no papel de extremo.

Por Fábio Aguiar
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Seleção Feminina

Notícias

Notícias Mais Vistas