Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias. Seguir

A surpresa na convocatória, o adeus de João Mário e o "regalo" que é ver João Neves: tudo o que disse Roberto Martínez

Jogos com Bósnia e Herzegovina e Islândia agendados para os dias 17 e 20 de junho

Convocatória de Roberto Martínez
O selecionador nacional, Roberto Martínez, deu hoje a conhecer o lote de convocados para os próximos compromissos de Portugal na campanha de apuramento para o Euro’2024, na Alemanha. A equipa das quinas, recorde-se, defronta a Bósnia e Herzegovina às 19h45 de dia 17, no Estádio da Luz, e volta a jogar três dias depois, em Reiquejavique, frente à Islândia. Portugal lidera o Grupo J de qualificação, com duas vitórias nos jogos já disputados. 

Saída de João Mário pode ter a ver com o ambiente que se vive na Seleção? "O nosso estágio em março foi muito bom, o ambiente foi muito positivo. Acho que temos que respeitar o João Mário. É um profissional exemplar. Foi uma decisão pessoal que precisamos de respeitar e vamos guardar as memórias dele com a Seleção. Foi campeão europeu, fez 56 jogos, mais de 130 com a Federação. Não acho que seja uma situação negativa, é uma situação natural. Foi uma decisão pessoal".

João Mário falou consigo? Ia ser convocado? "Era parte da convocatória, mas há uma boa relação entre o João, o Benfica, a Seleção e a Federação. O João ligou à direção e falou com a Federação. Ainda não falei com ele, mas vamos falar de forma natural e vou agradecer-lhe o seu papel na Seleção. É uma situação natural e cordial".

João Mário chegou a estar descontente por não jogar na Seleção? Acha que ele foi influenciado? Se ele jogasse na Seleção a titular, tomava a mesma decisão? "Acredito que o João esteja totalmente convencido que a decisão não está relacionada ao que aconteceu em março. Não quero um jogador que esteja descontente por não jogar. Temos um ambiente de alta competitividade. Não é um debate nem uma discussão, temos de aceitar isto. Ele jogou aqui muitos anos. Isto não é uma situação de agora, é normal. Todos os jogadores querem jogar, mas não acho que seja pelo que se passou em março".

Toti Gomes na convocatória, Pote de fora...: "A convocatória do Toti... É um jogador muito interessante para nós porque tem diferentes valências relativamente a outros centrais da Seleção. É físico, muito forte nos duelos, é esquerdino. Os seus jogos no Wolverhampton foram muito bons. Não se trata de excluir jogadores, trata-se de decidir tendo em conta caraterísticas diferentes. Precisamos de ter jogadores com capacidades distintas na Seleção e acho que o Toti pode oferecer isso. Pote? Gosto muito dele. É um jogador que marca a diferença no Sporting, não excluimos jogadores. Procuramos jogadores com capacidades específicas para estes jogos e temos que tomar decisões relativamente a muitos deles".

Caso de João Mário é parecido com o de Rafa... Pretende falar com João Mário e foi apanhado de surpresa? Convocou três laterais direitos. Mário Rui não merece oportunidade? "Acho que a nossa relação com os jogadores é muito aberta. Gosto de falar com jogadores de agora, com ex-jogadores... As nossas portas estão sempre abertas. Gosto de trocar ideias com o Rafa, com o João, com todos. Vi o Nélson Semedo como um jogador que jogou bem consistentemente ao longo de seis meses. Diogo Dalot e Nélson serão laterais direitos, Cancelo e Guerreiro jogarão à esquerda. Sei que o Cancelo pode fazer essa posição, jogou os últimos jogos no Bayern nessa posição. Temos muitos jogadores nessas posições. O [Aurélio] Buta faz uma boa época, o Mário Rui... Temos muitas opções. Vou falar com o João Mário quando tudo estiver mais tranquilo. Gosto de falar com os jogadores experientes. Não há qualquer problema nem conflito".

Potencial de João Neves. Pode vir a ser chamado nas próximas convocatórias? "É um regalo para a vista, é uma maravilha vê-lo, gosto muito dele. Temos uma responsabilidade de não queimar etapas de formação. Para a pessoa e para o jogador. O João foi um jogador diferente nos últimos seis jogos. Foi decisivo para os sub-19 em março e agora foi muito importante no Benfica. Temos que ter paciência com a formação dele. É muito fácil para mim chamar um jogador como ele, mas precisamos de lhe dar o que ele precisa".

Convocatória chega depois de uma fase decisiva na temporada. Isso torna este momento mais difícil? "Acho que junho é uma altura muito difícil por essa razão. A Bósnia tem o Dzeko, que vai jogar a final da Liga dos Campeões. É normal. Os nossos jogadores estão preparados para descansar, que é importante, e depois vão fazer uma preparação para chegarem ao estágio com frescura mental, mais do que física. É importante que estejam preparados mentalmente. A minha experiência de estágios em junho é que é algo delicado. A convocatória tem 25 jogadores e vamos preparar os jogos da melhor maneira possível".

Num ano houve duas renúncias à Seleção. Tem medo que isto possa continuar a acontecer? Esteve atento ao Europeu sub-17 e destaca algum nome?
"Não acho que seja um problema para a Seleção. Precisamos de entender os jogadores. São pessoas e, individualmente, as pessoas têm de pensar no momento e no futuro. Quando jogar na Seleção, quando partir para outras experiências... Há muitas facetas. O futebol europeu precisa de energia e força, não é fácil jogar no clube e na Seleção. É uma situação muito normal, temos de encarar isto com naturalidade e respeitar os jogadores. Sub-17? Gostei muito do jogo contra a França. Contra a Alemanha foi muito difícil. Acho que a reação da equipa foi muito positiva. O Filipe [Ramos] fez um trabalho muito bom com a equipa técnica, os jogadores gostaram da experiência. Não acho que uma equipa nesse escalão tenha muitas individualidades, vi uma equipa com atitude e valores, gostei muito".

O que vale a Bósnia? Que dificuldades podemos esperar? "A Bósnia é uma equipa que joga com um espírito muito bom. Vi-os no Mundial'2014 no Brasil. É uma seleção muito competitiva. Têm um treinador novo, jogam numa estrutura muito boa para os jogadores chave que têm como Dzeko ou Krunic. Jogam com clareza. O jogo deles contra a Islândia foi ao nível da equipa que são. Contra a Eslováquia, não conseguiram fazer uma boa primeira parte. Será um jogo importante e precisaremos de estar ao mais alto nível".

Quem entrou no lugar de João Mário? "Não se trata de substituir. Seguimos 35 nomes constantemente. Não houve substituição direta".

Não é comum uma convocatória a 20 dias do jogo. Pode ser algo recorrente? "É importante que os jogadores conheçam a convocatória para poderem preparar os próximos dias. Há campeonatos em que ainda há mais um jogo. Depois os jogadores podem descansar para se prepararem para o que precisamos para o estágio. Em setembro vamos fazer o mesmo, dar a convocatória antes do estágio".
Por André Santos
67
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Seleções

Notícias

Notícias Mais Vistas