Record

i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Ponha o pé de atleta a correr

Se pratica desporto por passatempo, por motivos de saúde ou por verdadeira paixão, sabe que há cuidados a ter, nomeadamente no que diz respeito aos pés. O pé de atleta é uma das doenças cutâneas mais comuns. Em média, sete em cada dez pessoas podem ser afetadas por pé de atleta, um problema mais comum nos homens.

Do que falamos afinal?

Sejam pés de jogador de futebol, de corredor de maratona ou de pequena distância, de nadador ou de basquetebolista, todos estão sujeitos a sofrer de pé de atleta, uma infeção da pele dos pés causada por fungos. O problema começa nos espaços entre os dedos, mas pode alastrar para outras zonas do pé como solas, calcanhares e partes laterais.

Há quem pense que esta infeção é o resultado de uma má higiene feita dos pés, o que não corresponde à verdade. Os fungos não têm preferência por pés sujos ou limpos, embora medidas de prevenção como lavar e secar os pés minuciosamente ajudem a minimizar os riscos.

Para evitar possíveis pontos de transmissão da infeção, sugere-se atenção redobrada no contacto da pele ou com superfícies e objetos contaminados. Deve evitar partilhar toalhas, lençóis e roupa desportiva. Outro ponto de contágio encontra-se em ambientes quentes e húmidos: chuveiros públicos, piscinas e balneários facilitam a propagação dos fungos.

Sintomas a ter em atenção

Sente prurido ou comichão mais intensa, associada a um ardor ou sensação de queimadura nos dedos e nos pés? Tem fissuras na pele da planta dos pés ou nos calcanhares, pele esbranquiçada, bolhas ou mau cheiro?

Se respondeu "sim" a pelo menos uma destas perguntas, então o melhor é fazer uma avaliação cuidada, porque os fungos podem estar à espreita. Numa fase inicial os sinais podem ser difíceis de interpretar. À medida que a infeção progride, os sintomas agravam-se. Tudo começa com uma leve comichão…

A infeção tem diferentes graus de gravidade, podendo mesmo alastrar-se para outras zonas do corpo. É importante selecionar o tratamento adequado.

Livre-se do pé de atleta

O tratamento com um antifúngico tópico (medicamento colocado diretamente sobre a pele) é uma forma rápida e fácil de combater o pé de atleta. Canespor é um antifúngico cutâneo de rápida ação e efeito prolongado.

Além das propriedades antifúngicas, o seu princípio ativo, o bifonazol, apresenta uma ação anti-inflamatória. Com Canespor, basta apenas uma aplicação por dia para tratar o pé de atleta.

Fórmula antifúngica poderosa:

• Elimina fungos (e bactérias);

• Ação prolongada, já que permanece na pele entre 48 e 72 horas no caso do creme e de 36 a 48 horas no caso da aplicação em spray;

• Tem efeito anti-inflamatório, ajudando a aliviar o prurido e a inflamação;

• Uma aplicação diária durante três semanas e preferencialmente à noite.






Mitos e factos sobre o pé de atleta

• Só quem pratica desporto tem pé de atleta

Mito: qualquer pessoa pode sofrer deste tipo de problema, embora seja mais comum entre os desportistas.

• Os sintomas iniciais são leves e difíceis de perceber

Facto: sim, é verdade que, se estiver menos atento, os sintomas iniciais podem parecer mais leves e de difícil deteção.

• O pé de atleta não necessita de tratamento

Mito: se o problema não for tratado com cuidado, atenção e com os produtos adequados, pode desenvolver-se uma infeção bacteriana com sintomas bem mais graves.

• Os balneários são mais propícios ao pé de atleta

Facto: a prática de desporto proporciona as condições ideais de calor e humidade para o desenvolvimento de fungos e a infeção pode transmitir-se por andar descalço em balneários.



Cinco conselhos úteis para apostar na prevenção:

1. Utilizar sempre chinelos ou sandálias em balneários, chuveiros e piscinas;

2. Usar meias limpas todos os dias e mudá-las se estiver calor ou depois de fazer desporto;

3. Optar por meias de algodão, seda ou lã em vez de meias sintéticas;

4. Calçar sandálias sempre que possível ou sapatos feitos de materiais naturais, como couro ou lona;

5. Lavar frequentemente as toalhas e não as partilhar.




Canespor creme, Canespor solução para pulverização cutânea: Contém bifonazol. Tratamento tópico de infeções fúngicas: Micoses das mãos e pés (”pé-de-atleta”), Pitiríase versicolor e tratamento da pele do leito da unha após remoção da mesma, como parte de um tratamento de onicomicose (creme). Contraindicação em caso de hipersensibilidade ao bifonazol ou qualquer excipiente. Advertências: doentes com antecedentes de reações de hipersensibilidade a outros antifúngicos imidazólicos; doentes sob terapia de varfarina; o creme contém álcool cetostearílico (pode causar reações cutâneas locais, por exemplo, dermatite de contacto; em caso de antecedentes de hipersensibilidade é aconselhável o uso da solução para pulverização cutânea). Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica. Leia atentamente o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico. Bayer Portugal Lda. | L.PT.MKT.07.2018.2178