Record

Óbidos International Open: O melhor Rui Morris de sempre está na frente

Português de 21 anos lidera pela primeira vez torneio internacional de profissionais

Rui Morris carimbou esta segunda-feira a melhor volta da sua carreira profissional iniciada em 2016 e lidera pela primeira vez um torneio internacional. O português de 21 anos fez 68 pancadas, 4 abaixo do Par do Guardian Bom Sucesso Golf Resort, para coliderar o 1.º Obidos International Open, um torneio do Alps Tour, de 30 mil euros em prémios monetários, organizado pelo Portugal Pro Golf Tour.

Rui Morris partilha o comando com o francês Nicolas Aparício e o italiano Andrea Saracino, jogadores que, tal como ele, também nunca tinham encabeçado antes um torneio a contar para o ranking mundial e quem pareceram ter sentido o forte vento que soprou. Qualquer um deles está em muito boa posição de conquistar o seu primeiro título nesta terceira divisão europeia, até porque as previsões meteorológicas apontam para um agravamento nos próximos dias, fazendo com que os resultados de hoje, sem chuva, possam vir a ser primordiais na classificação final.

«Comecei muito bem o dia, estava muito tranquilo, fiz logo 1 birdie no 10, mais 2 birdies seguidos no 12 e no 13, vi-me com 3 abaixo do Par e muito confiante no meu jogo. Tentei manter-me o mais calmo possível (…), nos buracos 17, 18 (bogey) e 1 tive um momento mais difícil, senti-me a vacilar mas voltei a fazer 1 birdie no 3 e outro no 5. Foi a minha melhor volta em torneios oficiais e nunca tinha começado bem um torneio. Estou muito contente porque sei das previsões meteorológicas e sabia da importância de fazer hoje um bom resultado. É um campo de que gosto muito, fiz aqui um bom resultado (top-10) na Taça Ibérica PGA de há dois anos», disse Rui Morris, jogador da Honma.

Se Rui Morris ainda sofreu 2 bogeys, Andrea Saracino viveu uma volta imaculada. «Fiz 4 birdies e nenhum bogey. Foi fácil (risos). Estiveram condições de jogo complicadas, mas espero jogar de novo bem amanhã. Nem sempre gosto de jogar com vento, mas hoje foi bom, até porque o campo está muito bom, com os greens muito rápidos», disse Andrea Saracino, de 23 anos, que tornou-se profissional há dois anos e em 2015 foi 2.º classificado no Campeonato Internacional Amador de Portugal de 2016, com o excelente resultado de -12 no Montado Hotel & Golf Resort.

Também o francês Nicolas Aparício já jogou o Campeonato Internacional Amador de Portugal e nos seus tempos de amador gostava de «jogar golfe em Portugal». Foi a sua primeira visita ao Guardian Bom Sucesso Golf Resort e saiu-se bem, com apenas 1 bogey e 5 birdies, sendo de realçar o excelente final de volta, com birdie nos buracos 17 e 18, considerados dos mais difíceis do percurso.

«Mantive-me calmo todo o dia, até porque não comecei bem, mas fiz 1 bom chip e putt para salvar o Par no 3 e fiz um bom birdie no 5. Depois terminei muito bem com birdies no 15, 17 e 18. Cheguei anteontem, fiz uma boa volta de treino, gostei muito do campo e do resort e gosto de jogar em Portugal. É a primeira vez que lidero, pelo que terei de gerir o stress e manter a serenidade, mas sinto-me a jogar bem e não vejo razão para que isso mude», considerou o jogador do Golf do Médoc, de 25 anos, que no ano passado fez um top-5 no Alps Tour, o seu recorde pessoal como profissional.

Para além deste trio de líderes, a jornada inaugural ficou marcada por 18 jogadores terem conseguido bater o Par-72 do campo, entre os quais Tiago Cruz, que está no grupo dos 5.º classificados, um extenso grupo de sete jogadores com 70 pancadas, 2 abaixo do Par. Há um total de 13 portugueses em prova (resultados completos em anexo).

O Alps Tour é uma das terceiras divisões do golfe profissional europeu e no final de cada época os cinco jogadores melhores classificados na Ordem de Mérito ascendem ao Challenge Tour, o escalão secundário na Europa. O Óbidos International Open atraiu 120 jogadores, de 17 nacionalidades.

O evento encerra ainda o Portugal Pro Golf Tour, um circuito internacional em que cada torneio oferece 10 mil euros em prémios, que se realiza todos os anos entre novembro e abril, sendo sancionado pela PGA de Portugal, Federação Portuguesa de golfe (FPG) e o Jamega Pro Golf Tour.

Entretanto, ainda antes de o torneio se iniciar, Pedro Figueiredo desistiu por ter recebido um convite à última hora para o próximo torneio do Challenge Tour, no qual não tinha entrado diretamente, o Belt & Road Colorful Yunnan Golf Open, na China.

Por Hugo Ribeiro/FPG
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Iniciativas

Notícias

Notícias Mais Vistas

M