O insólito motivo para o River Plate ter descartado Messi

Marcou 12 golos no treino e, ainda assim, não convenceu os responsáveis do clube

PUB

Aos 13 anos, Lionel Messi esteve com um pé no River Plate mas não ficou e o Barcelona, clube onde está até hoje, foi buscá-lo. A história de um dos melhores jogadores de sempre e o River Plate cruza-se em 2000, ano em que o avançado argentino viaja para Espanha. Eduardo Abrahamian, o então treinador das camadas jovens do clube argentino recorda os motivos por que Messi não vestiu a camisola de Los Millonarios, deixando fortes críticas à falta de visão do River Plate.

"Fiquei impressionado na primeira vez que o vi. Ele era muito pequeno, mas não nos importámos com o tamanho, olhámos para suas qualidades técnicas, que eram muitas. Era impressionante: nesse treino marcou 12 golos. Era incrível. Esteve três ou quatro dias em Buenos Aires", recorda Abrahamian. 

"Chamei o diretor desportivo do clube e disse-lhe que tinha de o ver porque era extraordinário, a sua qualidade técnica, a sua velocidade, a forma como abria caminho para os outros jogadores. O clube tinha de falar com o pai de Messi, eu queria aquele jogador no River Plate, mas era preciso encontrar uma casa para que ele pudesse trazer a família. Eu queria-o aqui. Um jogador como Messi não surge todos os dias. Ele fez a diferença, foi excecional, ogou com alegria, frescura. Mas havia coisas a serem resolvidas", explicou Eduardo Abrahamian ao Goal.

Mas a 'exigência' de uma casa para a família deixou o negócio em suspenso e Abrahamian não conseguiu convencer os responsáveis do River Plate de que aquele menino iria ser uma estrela.

"Na minha opinião não se pode perder um jogador como Messi. Disse-lhe que era um jogador com qualidades extraordinárias, mas eles disseram-me que já tínhamos alguns e que esse Leo podia ir para casa." Uma decisão que certamente ainda hoje os responsáveis do River Plate se arrependem... e não foi por falta de aviso.  

Deixe o seu comentário
PUB