Jardim: «Está no nosso ADN jogar como o fazemos»

Treinador do Monaco garante que não vai mudar nada frente ao Man. City

• Foto: Reuters

O Monaco nunca foi eliminado da Liga dos Campeões por uma equipa inglesa - afastou o Manchester United (1997/98), o Chelsea (2003/04) e o Arsenal (2014/15) - e joga esta terça-feira em Manchester com a ambição de começar bem o duplo confronto com o City nos oitavos de final desta época. Leonardo Jardim tem boas recordações de Inglaterra e promete que os monegascos vão ser iguais a si próprios, garantindo que não vai mudar nada.

"Não interessa quem é o adversário - PSG, City, ou outro. Está no nosso ADN jogar como o fazemos. Este é o nosso 11.º encontro [na prova]. Fizemos quatro jogos de qualificação, seis na fase de grupos e jogámos sempre da mesma maneira", lembrou o técnico português esta segunda-feira, na habitual conferência de imprensa de antevisão da partida.

Depois de ter ganho nos redutos do Arsenal (em 2014/15) e do Tottenham (já esta época, na fase de grupos), Jardim admite que os citizens são mais poderosos do que os monegascos. "Todos nos conhecem e eu sou muito realista. As duas equipas adoram jogar um bom futebol e têm jogadores para isso. As duas equipas técnicas trabalham bem. Mas em outros aspetos não se podem comparar os dois clubes, em especial no que toca a poder de ação no mercado", lembrou.

E se Guardiola elogiou esta tarde o Monaco, o português também fez a análise do City. "São uma equipa forte nas transições, atacam com cinco avançados quando estão na ofensiva. São também bons defensivamente, mas temos de lhes criar dificuldades e tentar pressioná-los. Vimo-los jogar nos últimos cinco ou seis jogos", adiantou o técnico do Monaco.

Jardim congratulou-se ainda com o percurso que tem tido a equipa monegasca nos últimos anos. "Mudámos muitos jogadores nas últimas três temporadas e estamos de novo nos oitavos-de-final. Isto é muito bom pois mostra que, apesar de tanta mudanças na equipa, estamos a conseguir jogar ao mais alto nível. Temos apenas dois ou três jogadores da equipa que defrontou o Arsenal há dois anos e temos um projeto onde os jovens jogadores estão a ter espaço para provar as suas capacidades", frisou.

O técnico de 42 anos adiantou ainda que os 21 jogadores que seguiram para Manchester "estão todos disponíveis e prontos para jogar", mas não abriu o jogo quanto a quem substituirá o brasileiro Jemerson no eixo da defesa. "Não sei se Raggi irá jogar. Ele está pronto para jogar e pode fazê-lo em muitas posições. Glik é uma certeza, mas temos três outras possibilidades para jogar ao seu lado: Almamy Touré, Abdou Diallo e Raggi também", salientou.

E ainda deixou elogios a três outros jogadores. "Fabinho tornou-se um dos melhores médios na Europa quando era lateral direito há dois anos. Falcão é um grane avançado e é fácil trabalhar com ele. Mbappé é um jovem que lancei nos profissionais e tem progredido muito este ano", concluiu.

Por José Angélico
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Liga dos Campeões

Sergei Yuran: «O Benfica não vai perder em Moscovo»

O antigo avançado de águias e moscovitas, que também passou pelo FC Porto, treina hoje o SKA-Energia, da 2.ª liga russa. Mesmo que esteja longe da palco do encontro, lança um olhar ao duelo entre os clubes onde se sagrou campeão

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.