Record

Benfica-Heerenveen, 4-2: Acção para a Europa sem reacção ao dragão

ÁGUIAS ENTRAM NA NOVA UEFA COM UMA VITÓRIA ESPECIAL

Benfica-Heerenveen, 4-2: Acção para a Europa sem reacção ao dragão
Benfica-Heerenveen, 4-2: Acção para a Europa sem reacção ao dragão • Foto: João Trindade
O Benfica somou ontem três pontos na primeira jornada da fase de grupos da nova Taça UEFA, frente aos holandeses do Heerenven, e deu um passo importante no sentido do apuramento para 1/16 final. Mas, depois do jogo de ontem e se a velha fórmula da Taça UEFA fosse ainda a vigente, ninguém teria saído da Luz convencido do apuramento. Afinal, bastariam dois golos aos holandeses, e eles até têm equipa para bater um certo Benfica que, em determinados períodos do jogo de ontem, se passeou pelo relvado.

A história do jogo resume-se praticamente aos golos, que pontuaram a discontinuidade do futebol. Nuno Gomes marcou dois, um com classe, o outro em esforço; Karadas deu a “chicotada” na equipa e no jogo, e Dos Santos decidiu autopresentear-se com uma surpresa – de um cruzamento saiu-lhe um golo. Os holandeses, que vinham de uma inesperada vitória obtida na ArenA de Amesterdão, frente ao Ajax, conseguida com uma reviravolta no marcador, ameaçaram uma repetição, depois do empate consumado em apenas sete minutos. Mas as evidências apontaram noutro sentido: o adormecimento do Benfica à sombra da vantagem de dois golos ofereceu-lhes uma hipótese de ouro. Mas só isso.

Acção

À partida, a expectativa estava centrada na forma como o Benfica poderia reagir à derrota do campeonato sofrida frente ao FC Porto. A verdade é que não houve reacção, existiu antes uma acção construída a pensar especificamente neste jogo, desde logo precipitada pela arquitectura da equipa, assente em três alterações: apareceram Dos Santos, Paulo Almeida e Zahovic nos lugares de Fyssas, Manuel Fernandes e Geovanni. E o Benfica até ganhou com a rotação, principalmente devido à vontade mostrada por Zahovic no trabalho de recuperação da bola. Foi estranho ver o Benfica a defender mais à frente, não com Manuel Fernandes, mas sim com o esloveno a titular.

Capaz de recuperar a bola com relativa facilidade, no meio-campo do Heerenveen, a equipa de Trapattoni aparentou alguma destreza a chegar à zona de tiro – apesar de os holandeses terem feito advertências muito sérias, que os poderiam ter deixado em vantagem. E marcou dois golos que a deixaram a salvo de qualquer crise de confiança que o jogo com o FC Porto udesse ter aberto. Mas veio o intervalo. E a seguir aconteceu uma parte cómica, o empate oferecido depois de duas faltas cometidas pelos dois defesas centrais (Luisão e Ricardo Rocha).

Karadas

Trapattoni fez então uma alteração de catálogo: Zahovic por Karadas, com transposição do 4x2x3x1 para 4x4x2. E foi bastante assobiado por isso. Desta vez, porém, o Benfica não se partiu entre o grupo dos que lançam a bola e os avançados que tentam dar sequência a um jogo ofensivo meio inconsequente.

O Heerenveen, crente na possibilidade de poder ganhar o jogo, face à aparente desorientação do adversário, atirou-se para a frente e deixou campo aberto ao contra-ataque do Benfica. E as consequências foram tremendas. Em duas arrancadas, uma de Karadas e outra de Nuno Gomes, o jogo ficou resolvido, quando chegou a pairar no estádio a ideia de que poderia ter acontecido algo mais para o dramático, do que para o triunfal.

O Heerenveen ainda teve em campo um certo Selakovic, a tentar explorar o jogo meio desacertado de Miguel, mas foi só isso. Trapattoni respondeu com a libertação do lateral para o meio-campo e meteu Amoreinha na defesa. E as coisas ficaram por aí.

O Benfica ganhou uma alma para a UEFA, a equipa deu um sinal de confiança, mas os adeptos não perdoaram a desilusão de domingo, apesar dos golos e grande penalidades-fantasma, e falharam a “convocatória”. Mais adversários “à Heerenveen” darão jeito para compor a ilusão
24
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Liga Europa

Notícias

Notícias Mais Vistas

M