Fábio Vieira: «Espírito da equipa foi muito importante»

Médio acabou a sofrer na bancada depois de ter participado nos três primeiros golos

• Foto: Reuters

Muitos dizem que a posição 10 está em vias de extinção no futebol atual, mas Rui Jorge não concorda. O selecionador nacional deu a batuta do jogo português a Fábio Vieira e o médio do FC Porto foi comandando as ações ofensivas. Fê-lo de tal forma que foi no seu pé esquerdo que começaram as jogadas dos três primeiros golos - bateu os cantos para os tiros certeiros de Dany Mota e lançou Diogo Queirós, que assistiu Gonçalo Ramos. "Sinto-me muito confortável ali, mas também na ala. A partir daqui cabe ao míster decidir onde quer que eu jogue. No fundo, sou mais um para ajudar", começou por dizer.

Contudo, o camisola 23 acabou a sofrer... na bancada depois de ser substituído (devido à Covid-19 os jogadores que saem não se sentam no banco). "Nunca é fácil ver de fora! Tivemos um jogo complicado, sabíamos das dificuldades que a Itália nos podia criar, mas conseguimos uma boa vantagem. Aquele golo a acabar a primeira parte mudou um bocadinho a partida, mas merecemos esta vitória e a passagem às meias-finais", referiu, destacando aquele que, para si, foi o segredo do sucesso no prolongamento: "Sofrer o empate mesmo em cima dos 90 minutos foi duro, senti que caímos um bocadinho, mas o espírito da equipa foi muito importante."

Agora segue-se a Espanha. Tal como Dany Mota, Fábio Vieira espera "um jogo bastante difícil", mas promete que a Seleção não vai inventar. "Todos sabemos que a Espanha é muito forte em todos os escalões, mas nós também o somos. Vamos entrar em campo para ganhar, é o único objetivo. Temos de fazer o que nos compete, sempre mantendo-nos fiéis a nós próprios. Só assim é que vamos conseguir chegar à final", concluiu.

Por Ricardo Granada
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Europeu Sub 21

Notícias

Notícias Mais Vistas