Portugal-Espanha: Chuva de estrelas

Estádio cheio e craques por todo o lado. Cheira a 'final' no duelo entre Portugal e Espanha

• Foto: Paulo Calado

É o jogo por que todos anseiam. E não falamos só de portugueses e espanhóis. O entusiasmo à volta do Portugal-Espanha é tal que o Estádio Gosir está completamente esgotado e percebe-se porquê: há talento espalhado pelas duas seleções e sente-se um cheiro a ‘final’. É que quem vencer esta partida bem pode dizer que fica com um pé e meio nas meias-finais. No que a Rui Jorge diz respeito, o selecionador da equipa das quinas espera um verdadeiro ‘show de bola’.

"Espero e acredito que seja um grande jogo. Jogadores talentosos dos dois lados, tecnicamente muito evoluídos. São equipas que gostam de jogar e não praticam antijogo. Vai ser um espetáculo enorme. Um estádio bonito que vai estar cheio, com jogadores de tamanha qualidade... tem tudo para ser um grande encontro", sublinhou o técnico, de 44 anos.

No lado da fúria espanhola chega uma ‘rojita’ a quem até se torna difícil não chamar ‘roja’. É que estão lá Asensio, Saúl Ñíguez, Deulofeu, Sandro Ramírez, Denis Suárez... bem, já deu para perceber? No entanto, Rui Jorge não pensa só na qualidade ofensiva dos espanhóis. "Considero a equipa forte na sua globalidade. Logicamente que ofensivamente tem números muito interessantes. Dos 12 jogos que fizeram na qualificação, só não marcaram em dois. Logo aí vai ser difícil para nós suster a equipa espanhola. Tentaremos marcar e ser fortes defensivamente", resumiu.

Sem olhos para o empate

Sem querer classificar esta Espanha como a equipa mais poderosa que enfrentou mas, sim, "mais uma seleção forte", Rui Jorge admitiu mudar o onze. Ora, embora não se espere que altere muito a fórmula, é quase certo que Renato Sanches vai saltar para a equipa titular. Mais do que isso, o técnico espera ver melhorias nos pormenores. "Cometemos bastantes erros em termos técnicos, o que não é normal. Defensivamente estivemos bem, mas conseguimos melhor ofensivamente. Estou desejoso que o façamos."

Com a certeza de que "perder é que não interessa", o selecionador chutou o empate para canto e nem quer pensar nisso. Na verdade, Portugal até bateu a Espanha no último encontro entre ambas as seleções (4-1, num particular em 2008). Resta saber quem sai por cima deste duelo de titãs.

Por Pedro Gonçalo Pinto
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Europeu Sub 21 2017

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.