Governo russo considera violência "inadmissível" e apela aos adeptos

Na sequência dos incidentes em Marselha

• Foto: EPA

O governo russo condenou esta terça-feira a violência dos adeptos no Euro'2016, em especial dos russos, considerando os atos "absolutamente inadmissíveis", em alusão aos incidentes de sábado em Marselha.

"Podemos apenas pedir aos nossos adeptos para que não reajam a provocações, sejam elas quais forem", disse aos jornalistas um porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, acrescentando que os confrontos entre ingleses e russos foram "inadmissíveis".

Ao longo de todo o fim de semana, antes, durante e depois do jogo Rússia-Inglaterra (1-1), em Marselha, registaram-se vários incidentes violentos implicando adeptos russos, ingleses e franceses.

Na segunda-feira, 10 pessoas foram julgadas por envolvimento nos confrontos e condenadas a penas até um ano de prisão, mas nenhum russo foi detido.

Os incidentes provocaram 35 feridos, quase todos ingleses. O mais grave permanecia em estado crítico na segunda-feira, mas estável, segundo o procurador de Marselha Brice Robin.

Após as cenas de violência, a UEFA ameaçou a Inglaterra e a Rússia de exclusão do Campeonato Europeu e hoje é esperada uma decisão relativamente à federação russa, devido a incidentes registados com os seus adeptos no Estádio Vélodrome, nomeadamente agressões a adeptos ingleses, comportamento racista, utilização de fumos e arremesso de objetos.

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Euro 2016

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.