Hora de esquecer a mão de Henry

Adjunto gaulês desvaloriza episódio

Há pouco menos de sete anos, a Irlanda revoltou-se. Thierry Henry fez uma assistência com o braço para William Gallas, que marcou e deu o triunfo à França no playoff de apuramento para o Mundial’2010. Agora, os irlandeses têm hipótese de vingança mas os gauleses acreditam que isso são águas passados, pouco importantes para o duelo de amanhã, em Lyon.

"Já tanta coisa se passou desde essa altura. Claro que já falámos do que aconteceu, mas isso não vai ter impacto nenhum sobre este jogo. Quase todos os jogadores de agora não estavam na seleção nessa altura, a equipa técnica mudou, o contexto é diferente... Tudo diferente", analisou Guy Stéphan, adjunto do selecionador Didier Deschamps. De facto, apenas Lloris, Sagna, Evra e Gignac foram titulares na 2ª mão (1-1) desse playoff, ao passo que Sissoko e Mandanda estiveram no banco de suplentes.

Certo é que a seleção francesa está focada ao máximo para não desiludir os seus adeptos. Isto porque nenhum jogador fala à imprensa desde segunda-feira, enquanto todos os treinos têm sido à porta fechada, uma tática explicada por Stéphan. "Antes do torneio tornámos tudo público e era tudo muito livre. Agora, o plantel precisava de estar junto, descansado e concentrado na fase a eliminar", sustentou o técnico, de 59 anos.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Euro 2016

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.