Pepe: «Não nos podem pedir já um Mundial»

Internacional português cauteloso prefere "cair na realidade"

• Foto: Reuters
Passaram já seis dias, mas o facto é que a conquista do título europeu de futebol continua a viver-se quase como um sonho. Que o diga Pepe que, em entrevista ao "Expresso" publicada este sábado, não esconde esse mesmo sentimento, assim como a alegria de ter optado pela cidadania portuguesa, em 2007, ele que nasceu em Maceió há 33 anos.

"Nunca me arrependi de ser português. Fui sempre acarinhado, bem recebido. Vim para um país que não conhecia com 17, 18 anos, e sempre tive alguém que me ajudasse. Gosto de ser português, porque ser português é ser humilde e ter capacidade de sacríficio e de lutar. Sou português há quase tanto tempo como fui brasileiro e ser português é uma coisa linda. Vibro com as nossas conquistas, com as medalhas da Sara Moreira, da Jessica Augusto e da Patrícia Mamona, com a seleção de hóquei em patins que ganhou à Espanha. Agora, também é preciso cair na realidade: sonhar é bom, mas não nos podem pedir já um Mundial. Somos poucos, 11 milhões, e a base de recrutamento é menor do que em Espanha, por exemplo", afirmou.

O central do Real Madrid sublinhou ainda a confiança transmitida por Fernando Santos ao longo de todo o Europeu em França, não escondendo que gostaria que o selecionador nacional continuasse em funções com as quinas. "Gostava muito que ele ficasse. Nós não sabemos de nada, não sei o que vai acontecer, mas adorava que ele ficasse, que toda a estrutura da seleção e da Federação ficasse".
Por Sofia Lobato
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Euro 2016

Notícias

Notícias Mais Vistas