Paul Pogba confessou esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que há dois anos, antes da final do Europeu perdida para Portugal, a seleção francesa entrou em campo com a confiança absoluta de que iria bater os portugueses e garantir o título de campeão do Velho Continente. Agora, em 2018, e com mais uma final pela frente, agora num Mundial, o médio do Manchester United assegura que a França aprendeu a lição.

"No Europeu pensávamos que já estava ganho. Não quero mentir: quando ganhámos à Alemanha, pensamos que íamos ganhar a final, depois de ver o percurso de Portugal. A mentalidade era diferente. Agora estamos focados, queremos dar tudo e ganhar", disse o médio, que numa outra questão deixou o desejo de tudo ser diferente desta vez.

"Não vamos enfrentar esta final como fizemos na de 2016. Conheço o sabor da derrota e é muito amargo. Chegamos demasiado longe para deixar escapar agora. Lembro-me bem das férias depois dessa derrota... Não foram boas. Não quero reviver isso. Quero regressar com um sorriso no rosto e fazer com que a França fique contagiada por ele", acrescentou.

Em relação ao favoritismo teórico que a França terá, Pogba assegura que no plantel ninguéem pensa assim. "Não nos vemos como favoritos. Os croatas estavam a perder contra a Inglaterra e nunca se renderam. Jogaram mais 90 minutos do que nós, por causa dos três prolongamentos que disputaram, mas quererão mostrar o desejo de ganhar", frisou.

Autor: Fábio Lima