Saiba como Cristiano Ronaldo preparou a explosão no Mundial 2018

Capitão fresco como nunca

• Foto: EPA

Aos 33 anos e com uma carreira a um ritmo alucinante, as leis da lógica gritam que o mais normal é começar a perder o fulgor. A questão é que Cristiano Ronaldo não responde a essas leis. O capitão da Seleção Nacional surgiu na Rússia num pico de forma, culminando todo o trabalho cuidadosamente desenvolvido ao longo desta temporada, com o objetivo de gerar uma autêntica explosão no Mundial.

O dado mais evidente está relacionado com o tempo de jogo que CR7 teve no Real Madrid. Mesmo com os merengues a conquistarem a Liga dos Campeões, Ronaldo somou apenas 3.678 minutos, um número invulgarmente baixo para o internacional português. É que Cristiano ultrapassou sempre a barreira dos 4 mil minutos desde a temporada 2010/11. Agora, essa série chegou ao fim. Valores mais altos se levantaram.

Extremo cuidado

Desengane-se quem pensa que o segredo para a atual boa forma de Ronaldo está apenas na redução de tempo de jogo no Real Madrid. É parte importante, mas longe de ser a única explicação. O goleador da equipa das quinas mantém uma série de cuidados muito rigorosos, de forma a nunca ganhar peso e até mesmo a perder um quilo por ano, para manter a velocidade e a capacidade de explosão intactas. Nesse sentido, CR7 tem uma dieta estudada ao pormenor, na qual não está previsto comer açúcar ou chocolate, por exemplo. ‘Salvam-se’ pão integral, fruta, verdura, salada, frango grelhado, tomate, bacalhau e arroz integral, entre outros alimentos do mesmo tipo.

Por outro lado, o cuidado com as lesões musculares é fundamental, até para o tipo de arranques que Ronaldo faz várias vezes durante os encontros. Para prevenir possíveis problemas físicos, o craque faz exercícios específicos, tanto de fortalecimento como de descanso muscular. CR7 não é o melhor do Mundo por obra do acaso.

Oito segundos de um lado ao outro

O cronómetro do Portugal-Espanha marcava os 17 minutos quando a equipa das quinas recuperou a bola de um canto da Roja e lançou o contra-ataque. Gonçalo Guedes era quem estava mais adiantado, enquanto Cristiano Ronaldo partia de funções defensivas. O avançado do Valencia foi ficando mais perto da área, mas o impressionante sprint de CR7 é que deu nas vistas. Guedes acabou por se atrapalhar e nem conseguiu passar a bola, mas o capitão ganhou terreno muito rápido. Demorou, mais precisamente, oito segundos a correr de um lado ao outro do campo em Sochi.

Tratou-se de mais uma prova da impressionante forma física de Cristiano que, no entanto, ainda assustou no final da partida. Em período de descontos, o craque português sentou-se com queixas no tornozelo direito, antes de se levantar e fazer sinal ao árbitro de que teria colocado mal o pé no relvado. Aparentemente, tudo acabou por não passar de um susto, tal como uma outra situação que gerou algum alarme no arranque dos trabalhos da Seleção Nacional em Kratovo. No treino aberto à comunicação social e aos adeptos, Ronaldo ficou a queixar-se do ombro esquerdo – deu sinais de dor no dia antes do jogo com a Espanha –, mas não mostrou quaisquer limitações no jogo.

Por Pedro Gonçalo Pinto
2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2018

Notícias