Diáspora procura quebrar recorde

A presença da Seleção Nacional em Andorra levará 2 mil portugueses ao Estádi Nacional

• Foto: Francisco Paraíso/FPF

A receção aos jogadores portugueses no Aeródromo La Seu D’Urgell foi uma amostra do apoio que Portugal irá receber, uma vez mais, em solo estrangeiro mas, ao mesmo tempo, bem lusitano.

A Seleção Nacional aterrou ontem em Andorra, um dos países do Mundo onde há mais portugueses por quilómetro quadrado. No principado situado entre Espanha e França há mais de 11 mil portugueses, o que se traduz em dizer que cerca de 15% das 77 mil pessoas que vivem junto aos Pirenéus são falantes da língua de Camões.

Também por isso, o jogo que não terá consequências práticas para a classificação de Andorra na fase de apuramento para o Mundial’2018, está a gerar tamanha expectativa. E pode dar mesmo em recorde.

O Estádi Nacional é palco dos jogos da principal seleção de Andorra e voltará a sê-lo no sábado, diante de Portugal. Com capacidade para cerca de 3.300 espectadores, o recinto andorrano tem como recorde de assistência os 3.150 espectadores que assistiram à partida no dia da inauguração, a 9 de setembro de 2014, diante do País de Gales - derrota dos visitados por 2-1 face ao bis de Bale.

Face aos dois mil portugueses, emigrantes em Andorra, esperados no Estádi Nacional, o recorde poderá muito bem ser quebrado já amanhã.

Quem não conseguiu os ingressos - que se esgotaram a 26 de setembro - para aquele que é o primeiro jogo de Andorra na condição de visitada desde setembro de 2001 ante Portugal, tem alternativas.

Os cafés e bares em Andorra la Vella, capital daquele microestado, têm programas especiais para a partida que promete agitar o principado criado em 1278 e que é conhecido pelos desportos de inverno e pelo turismo sazonal que ‘alimentam’ tais modalidades.

Afinal, este é apenas o segundo jogo da seleção portuguesa em solo andorrano. Na qualificação rumo ao Campeonato do Mundo de 2002, Portugal disputou uma partida no Camp d’Esports, que terminou com um resultado pouco lisonjeiro para os da casa: 7-1 a favor dos portugueses e Nuno Gomes a brilhar com um poker.

Raízes lusitanas chegam à seleção

A marca portuguesa em Andorra estende-se... à própria seleção do país. São vários os jogadores federados que ora têm raízes em Portugal, ora mesmo ostentam a nacionalidade portuguesa.

Puxando a cassete atrás, mais propriamente ao jogo de Aveiro ainda em 2016, há dois portugueses que se ‘voltaram contra a pátria’. Márcio Vieira alinhou os 90 minutos por Andorra nos 6-0 sofridos aos pés de Portugal. O futebolista nascido no Marco de Canaveses partilhou o sentimento com Victor Moreira, conterrâneo e também internacional por Andorra, que entrou na partida diante da Seleção Nacional. Diego Marinho e Adrián Rodrigues são outros dois jogadores que têm raízes portugueses, mas optaram por defender as cores de Andorra.

Por Fábio Aguiar e Flávio Miguel Silva
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2018 - Europa

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.