Eran Zahavi vaiado e... fora da seleção

Avançado, de 30 anos, atirou braçadeira ao chão

• Foto: Getty Images

Eran Zahavi é, para muitos, o melhor jogador israelita de sempre – concorre com Benayoun por esse ‘título’ – mas nem por isso tem estatuto especial na seleção. Ora, o avançado, de 30 anos, que aufere um ordenado milionário nos chineses do Guangzhou R&F, foi tema de conversa em Israel pelo facto de ter atirado a braçadeira de capitão ao chão... em pleno jogo.

O gesto valeu-lhe, logo depois desse compromisso com a Macedónia, realizado no sábado em Haifa, a suspensão por parte da federação, mas a verdade é que, ontem, o próprio futebolista anunciou a renúncia à seleção de Israel, pela qual apontou seis golos num total de 38 jogos.

Mas vamos por partes. Tudo aconteceu quando os adeptos israelitas começaram a assobiar o avançado pela fraca exibição diante dos macedónios. Irritado, Eran Zahavi pegou na braçadeira e atirou-a ao chão, prosseguido em campo com toda a normalidade e sem ceder perante as assobiadelas vindas das bancadas. E não mais voltou a pegar naquele símbolo de liderança.

Com isto, Israel perdeu a principal figura da seleção na caminhada para o Mundial do próximo ano, na Rússia – já sem qualquer hipótese de se apurar. Na despedida, o atacante aproveitou para explicar o que o levou a tomar aquela atitude. "Não nos qualificamos para o Campeonato do Mundo há mais de 40 anos. São 40 anos sem progredir! Quando ouvi os adeptos a vaiar-nos, o meu coração explodiu", disse Zahavi. 

Por Pedro Ponte
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Mundial 2018 - Europa

Notícias