Chile empata com Bolívia e falha ataque aos primeiros lugares

Seleção chilena encontra-se no sétimo lugar, sendo que apenas os quatro primeiros se qualificam diretamente

O Chile falhou esta terça-feira o ataque aos primeiros lugares da zona sul-americana de apuramento para o Mundial de 2022, ao ceder um empate a um golo na receção à Bolívia, no fecho da oitava jornada.

Num jogo que dominou de início ao fim, a formação da casa adiantou-se aos 69 minutos, por Erick Pulgar, servido por Aránguiz, mas, aos 82', uma mão de Maripán custou um penálti, que Marcelo Moreno transformou no seu sexto golo nas eliminatórias.

Desta forma, o Chile é apenas sétimo classificado, com seis pontos, mais um do que a Bolívia, que segue no oitavo lugar, com cinco, contra quatro da Venezuela, comandada pelo treinador português José Peseiro, e do Peru.

Na frente, lidera, com seis triunfos em seis jogos - as rondas cinco e seis foram adiadas -, o Brasil (18 pontos), seguido de Argentina (12), Equador (nove), Uruguai (oito), Colômbia (oito) e Paraguai (sete). Os quatro primeiros qualificam-se diretamente e o quinto segue para um playoff intercontinental.

Um golo e uma assistência de Neymar permitiram ao Brasil vencer por 2-0 no Paraguai, e continuar 100% vitorioso. O 10 dos canarinhos marcou aos quatro minutos, após centro da direita de Gabriel Jesus, e assistiu Lucas Paquetá aos 90+3', num jogo em que o benfiquista Everton entrou aos 82'.

Neymar passou a contar 66 golos na seleção brasileira, em 105 jogos, colocando-se a apenas 11 de Pelé, que disputou 92 encontros, enquanto o Brasil repetiu os seis triunfos a abrir a qualificação conseguidos em 1970, ano do tri.

Em Barranquilla, a Argentina esteve a vencer por 2-0, com golos nos primeiros minutos, de Cristian Romero, aos três, e Leandro Paredes, aos oito, mas acabou por permitir a igualdade na segunda parte, sofrendo o 2-2 na última jogada.

Otamendi 'ofereceu' uma grande penalidade aos 'cafeteros', numa falta desnecessária sobre Uribe, que o suplente Luis Muriel aproveitou, aos 51 minutos, e, aos 90+4', uma perda de bola de Foyth esteve na origem do 2-2 final, selado de cabeça por Miguel Borja, servido por Cuadrado.

Os portistas Uribe e Luis Díaz (substituído ao intervalo) foram titulares nos anfitriões, tal como o benfiquista Otamendi na Argentina, equipa que o guarda-redes do FC Porto Marchesín entrou aos 40', substituindo o lesionado Emiliano Martínez.

Antes, a Venezuela pontuou pela segunda vez, depois do triunfo por 2-1 na receção Chile, entre quatro desaires, ao empatar a zero na receção ao Uruguai, em Caracas.

Na formação da casa, jogaram os 90 minutos os defesas Ferraresi, do Moreirense, e Mikel Villanueva, do Santa Clara, enquanto o leão Coates voltou a ser suplente não utilizado no Uruguai, preterido em relação a Godín e Giménez.

Maior surpresa, foi o triunfo por 2-1 do Peru face ao Equador, em Quito, graças a dois contra-ataques.

O grande obreiro do triunfo foi Gianluca Lapadula, avançado dos italianos do Benevento, que fez duas assistências de bandeja, para os tentos de Christian Cueva, aos 63 minutos, e do ex-V. Setúbal Luis Advíncula, aos 89'. O leão Gonzalo Plata, que entrou ao intervalo, reduziu aos 90+2'.

As eliminatórias sul-americanas de apuramento para o Mundial de 2022 prosseguem em setembro.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2022

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.