Futebolistas noruegueses denunciam situação dos trabalhadores migrantes no Qatar

A Noruega defronta Gibraltar, amanhã, na qualificação para o Mundial de 2022

Haaland
Haaland • Foto: Reuters

Os internacionais Erling Haaland, Martin Odegaard e os restantes futebolistas da seleção norueguesa manifestaram a intenção de denunciar no jogo de quarta-feira, com Gibraltar, através de uma "ação concreta", a situação dos trabalhadores migrantes no Qatar.

"Está na altura de tomarmos uma ação concreta", disse o selecionador, Staale Solbakken, na conferência de imprensa de antevisão do jogo de quarta-feira, entre Gibraltar e a Noruega, em Marbella, de qualificação para o Mundial'2022, cuja fase final se vai realizar no Qatar.

Vários clubes noruegueses já se manifestaram favoráveis a um boicote ao Mundial, depois de o jornal britânico The Guardian revelar que mais de 6.500 trabalhadores migrantes morreram no Qatar, desde a atribuição em 2010 da organização do Mundial àquele país, e 55% dos noruegueses afirmaram serem favoráveis a um boicote.

O assunto será debatido num congresso extraordinário das estruturas de futebol do país, em 20 de junho.

Na qualificação para o Mundial de 2022, a Noruega integra o grupo G, juntamente com Gibraltar, Turquia, Montenegro, Países Baixos e Letónia.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Mundial 2022

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.