Adjunto do Shakhtar: «Nunca poderia ir ao estádio do Benfica com a camisola do FC Porto»

Vítor Severino compara rivalidades na Ucrânia e Portugal, destacando a mentalidade diferente no país onde agora trabalha

• Foto: Nuno Fonseca/Movephoto

Vítor Severino, treinador-adjunto de Luís Castro no Shakhtar Donetsk, traçou um paralelismo entre o campeonato ucraniano e o português, encontrando algumas semelhanças entre ambos mas destacando também o predomínio do físico na principal prova daquele país.

"Na Ucrânia o futebol é demasiado defensivo. Não há espaço para criatividade. Tudo depende do treinador, se ele colocar ênfase no aspeto físico estaremos a perder talento. Mas, na generalidade, o campeonato é competitivo. Há equipas focadas apenas em defender em alguns momentos mas são muito competitivas. Mesmo que o jogo pareça ir numa direção, elas lutam até ao fim. Com o tempo têm-se tornado também mais pressionantes, pretendendo condicionar-nos. Há poucas diferenças relativamente ao campeonato português", referiu Severino, em declarações ao 'Sport-Arena'.

A rivalidade entre clubes foi um aspeto que impressionou, pela positiva, o técnico português: "Em Portugal trabalhei no FC Porto [n.d.r.: na formação]. Se o Benfica estivesse a jogar, não poderia ir ao Estádio da Luz com a camisola do FC Porto vestida. Teria um problema. Aqui, fiquei agradavelmente surpreendido. Nos clássicos com o Dínamo podia andar tranquilamente vestido à Shakhtar. Inclusivamente as pessoas queriam falar comigo e tirar fotografias. Fiquei surpreendido."

Por Record
17
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.