Balakov visitou Record

Um dos melhores estrangeiros da história do futebol nacional voltou onde foi muito feliz

Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível
Balakov e o filho estiveram ontem nas instalações de Record. Uma visita inesquecível

Krassimir Balakov, o génio búlgaro que abrilhantou o futebol português ao serviço do Sporting, entre 1991 e 1995, está em Portugal, para matar saudades de um país onde foi muito feliz. Um dos melhores estrangeiros da história do futebol português, visitou ontem a redação de Record, um dia depois de ter estado em Alvalade para assistir à vitória do Sporting sobre o Borussia Dortmund (e consequente qualificação para os oitavos-de final da Liga dos Campeões). Em Alvalade conviveu com o presidente Frederico Varandas, conheceu o treinador Rúben Amorim e recebeu o emblema de 25 anos de sócio (já tem 30 anos de vínculo, mas só agora levou o símbolo dessa relação), ao mesmo tempo do filho Krassimir, nascido em Portugal há 26 anos, sócio desde o dia em que veio ao Mundo – Krassi deslumbrou-se com o que viu à volta do pai e verbalizou a emoção ao afirmar: "Que dia incrível vivi ontem!"

"Foi tudo como imaginei nos meus melhores sonhos", afirma emocionado o antigo jogador que, em cinco épocas em Alvalade, fez 169 jogos oficiais e marcou 59 golos – números que servem apenas de complemento às emoções que provocou com o seu futebol genial: "Fui ver o jogo da Youth League e ganhámos 3-2, depois vi o jogo da Champions e voltámos a vencer. Estava com algum receio, se não ganhássemos, de alguém dizer que vim dar azar." Como se a felicidade de voltar a ter o enorme Balakov entre nós não fosse uma bênção. Bala ficou deliciado com o que viu e não esconde a satisfação pelo carinho que tem recebido por parte de todos os adeptos que o reconhecem: "O que diminui a intensidade dos contactos é andarmos de máscara. Consigo passar um pouco despercebido mas, mesmo assim, o carinho dos adeptos tem sido brutal. E não apenas de gente ligada ao Sporting, mas de todos os outros clubes." Enorme Balakov, obrigado pela visita. E toda a sorte do Mundo.

Por Rui Dias
14
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas