Bjorn Kuipers anuncia fim da carreira e lembra um Nápoles-Benfica: «Foi o ponto de viragem»

Árbitro de 48 anos despede-se a 7 de agosto, quando dirigir a Supertaça holandesa entre Ajax e PSV

Análise de Paulo Paraty, na edição de Record, à arbitragem de Bjorn Kuipers no Nápoles-Benfica de 2008
Análise de Paulo Paraty, na edição de Record, à arbitragem de Bjorn Kuipers no Nápoles-Benfica de 2008
Análise de Paulo Paraty, na edição de Record, à arbitragem de Bjorn Kuipers no Nápoles-Benfica de 2008

O árbitro Bjorn Kuipers anunciou, através do site oficial da Federação Holandesa de Futebol (KNVB), que vai colocar um ponto final na carreira após 32 anos. O juiz, que dirigiu a final do Euro'2020, estará pela última vez em ação no dia 7 de agosto, data em que irá arbitrar a Supertaça da Holanda entre Ajax e PSV.

Aos 48 anos, o também empresário admite que ponderou muito nas últimas semanas mas entendeu que é a altura certa para parar. "Dizem que, por vezes, se deve parar quando estamos no auge. E quanto a isso, não há melhor momento do que este. Depois da final do Euro recebi tantas mensagens positivas que comecei a ter dúvidas em relação ao fim da minha carreira. Ainda estou em forma ainda e pensei muito sobre o assunto durante as férias. Apitei jogos em todo o Mundo,  experimentei de tudo e não há nada mais bonito do que isso. Não há melhor momento para parar", afirmou.

Kuipers tornou-se árbitro internacional em 2006 e lembrou um Nápoles-Benfica da época 2008/09, na então designada Taça UEFA - italianos venceram por 3-2 -, que segundo o próprio foi decisivo para que tivesse uma carreira de sucesso a nível europeu e mundial. "Esse jogo foi um ponto de viragem na minha carreira. O presidente do Comité de Arbitragem estava na bancada como observador da UEFA e tive uma prestação muito boa. Acabei por ser premiado com a nomeação para a final do Europeu de Sub-21 e promovido à Elite. A partir daquele momento percebi que poderia chegar ao topo", explicou.

Análise de Paulo Paraty à arbitragem de Bjorn Kuipers

Refira-se que o jogo decisivo do Euro'2020, entre Itália e Inglaterra, foi a sétima final internacional de Kuipers, após ter dirigido uma final da Champions em 2014, duas finais da Liga Europa, uma Supertaça Europeia, uma final do Euro Sub-21 e outra de Sub-17. O holandês esteve em três Europeus (2012, 2016 e 2020) e dois Mundiais (2014 e 2018).

Por André Antunes Pereira
9
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas