Blatter diz-se desrespeitado por Infantino

Suíço revela que foi ignorado por sucessor na FIFA

• Foto: Reuters

O antigo presidente da FIFA Joseph Blatter, suspenso por seis anos de toda a atividade ligada ao futebol, disse na quinta-feira ter sido desrespeitado pelo seu sucessor, Gianni Infantino, em entrevista à BBC.

Em entrevista à estação britânica, Blatter - que na segunda-feira viu o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmar a suspensão de seis anos, na sequência de um pagamento de 1,8 milhões de euros a Michel Platini, ex-presidente da UEFA, também suspenso - contou que Infantino o ignorou depois de um primeiro encontro "muito bom".

O suíço, que se demitiu da presidência da FIFA em junho de 2015, revelou que recebeu uma visita de Infantino pouco depois do antigo secretário-geral da UEFA ter sido eleito para a liderança do organismo mundial, a 26 de fevereiro, mas que depois foi ignorado pelo compatriota.

"Depois de ter sido eleito, [Infantino] veio a minha casa e tivemos um encontro muito bom. Disse-lhe que tinha uma lista de questões que tinham de ser resolvidas na FIFA. Ele respondeu-me que ia trabalhar sobre isso. Depois, nunca mais atendeu os meus telefonemas", revelou Blatter.

O ex-presidente da FIFA acrescentou que esta situação "não acontece em outras empresas".

"Definitivamente, não sou um homem feliz com o que aconteceu na FIFA. Isto não acontece em outras empresas: o novo presidente desrespeitar o antigo presidente", considerou.

Depois desse encontro em sua casa, Blatter disse que Infantino ignorou todas as tentativas de contacto.

"Mandei-lhe cartas, telefonei-lhe. Nunca me respondeu. Nunca. Há pessoas boas e há pessoas que não são boas", acusou Blatter.

Em dezembro de 2015, Blatter foi suspenso por oito anos de toda a atividade ligada ao futebol, mas a pena acabou por ser reduzida para seis anos.

Mesmo assim, o ex-presidente da FIFA recorreu para o TAS, que confirmou a suspensão. Blatter acatou, abstendo-se de enviar recurso para o Tribunal Federal de Lausana, como fez Michel Platini, suspenso por quatro anos.

Sobre este recurso do ex-presidente da UEFA, espera-se uma decisão entre fevereiro e março do próximo ano.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.