Boniek reage à decisão de Paulo Sousa: «Estou incrivelmente enojado e desapontado»

Antigo presidente da Federação Polaca foi o responsável pela contratação do português

• Foto: DIREITOS RESERVADOS

Responsável pela contratação de Paulo Sousa para o cargo de selecionador polaco, Zbigniew Boniek deixou este domingo duríssimas críticas à postura do treinador português na sequência do seu pedido pela deixar aquele cargo e rumar ao Flamengo. Em entrevista ao programa 'Prawda Futbolu', o antigo presidente da Federação polaca assumiu sentir-se "estranho" com tudo isto e confessou que não consegue imaginar Paulo Sousa continuar no cargo depois desta sua tomada de posição.

"Sinto-me estranho com esta situação. Fiz dele selecionador nacional. É inteligente e conhece o futebol. A tarefa dele era apurar-nos para o playoff, algo que conseguiu. Por outro lado, no Europeu estávamos à espera de passar o grupo... Tenho de dizer que estou incrivelmente enojado e um pouco desapontado. Ouvi falar nessa chamada ao presidente da Federação, a dizer que queria sair. É algo muito poderoso. Não consigo imaginá-lo no banco no Luzhniki. Os jogadores também já devem ter ouvido falar nisto e estão provavelmente surpreendidos", começou por dizer Zbigniew Boniek, em declarações .

"O dinheiro pode ter um valor destrutivo. Depois de receberes uma proposta específica vê-se que algo muda... O contrato [na Polónia] é bom e deixa bem claro que ele não pode assumir outros cargos enquanto estiver com a Federação Polaca. Se o fizer, irá quebrar esse contrato. E essa é uma das quatro ou cinco cláusulas que permitem a rescisão do contrato por parte da Federação sem qualquer encargo. Mas trata-se de um contrato que é praticamente impossível de terminar a menos que a Federação o queira. Encaramos isto como um grande escândalo e já tivemos muitas situações como esta", acrescentou, dando como exemplo a saída de Xavi do Al Saad para o Barcelona.

Não há qualquer valor para a saída

Ao 'Przeglad Sportowy', Boniek abordou a situação e revelou que não existe qualquer valor definido de compensação para a rescisão. "Se tivéssemos isso escrito no contrato, digamos de 500 mil euros, seria uma via de escape que permitiria aos interessados pagar essa verba a qualquer momento. Mas a ausência dessa cláusula significa que o Paulo Sousa não pode desvincular-se da federação durante o seu contrato", disse.

Por Record
24
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas