China: Líder do Yingli Ytong revela adeus à 2ª liga

Penálti polémico leva Meng Yongli a explodir e a exigir à federação que controle os árbitros

O futebol chinês dá os primeiros passos para atingir um patamar que lhe permita um dia fazer história mas ainda há lacunas por colmatar e a arbitragem começa a sofrer fortes críticas. Desta vez, foi Meng Yongli, presidente do Baoding Yingli Ytong, último classificado da 2ª divisão, a anunciar o abandono do clube em conferência de imprensa, mostrando-se muito inconformado com a decisão do árbitro em assinalar um penálti muito discutível no período de compensação, numa altura em que o Yingli Ytong vencia por 2-1.

"Só queremos um tratamento justo. Sabemos que já não alteramos o resultado. Espero que, ao retirar a equipa da competição, possa alertar os dirigentes do futebol chinês para que nos dêem uma explicação. Desta maneira, não pode continuar. Como é que podemos prosseguir com o atual estado da situação? Não há quem o possa fazer. O que é que a minha equipa tem de fazer? Sentimo-nos prejudicados e vamos abandonar a 2ª liga. Não podemos pactuar com isto", atirou Meng Yongli, acrescentando: "Os árbitros têm de ter algum controlo. Senão, ganham sempre os mesmos. É desta forma que o futebol chinês quer evoluir? Será difícil se continuarem a pensar que está tudo bem."

Federação chinesa em silêncio

O Baoding Yingli Ytong está no 16º e último lugar da 2ª divisão, com 10 pontos, a 6 dos primeiros clubes na zona tranquila da tabela, Nei Zhongyou e Meizhou Wuhua. A imprensa chinesa revelou que Meng Yongli já iniciou formalmente o processo para retirar o clube da 2ª liga mas a federação chinesa espera que tenha sido só uma reação a quente e, para já, não se pronunciou sobre o tema.

Por Hugo Neves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.