De esperança do Benfica a diretor geral de clube no Laos

Eis a história de vida de Kaz Patafta

A vida do autraliano Kaz Patafta dava, efetivamente, um filme. Nascido há 28 anos na cidade de Camberra, Patafta mudou-se aos 18 para Portugal, tendo chegado ao Benfica com o estatuto de promessa para o futuro no futebol australiano. As esperanças eram muitas, mas o futuro não quis nada com o então médio ofensivo. Não chegou a jogar nas águias e, depois de dois anos ligado ao Benfica, regressou ao seu país. Seguiram-se Melbourne Victory (por empréstimo), Newcastle United Jets, Camberra FC e Sydney United e, depois, um adeus (temporário) ao futebol.

Como a sua carreira não seguia pelo caminho que traçara, Patafta voltou-se então para os estudos e, em 2014, formou-se em Direito, na Universidade de Bond, um título académico que agora lhe vale uma nova forma de atuar no futebol. É que, desde muito recentemente, o antigo jogador do Benfica é diretor-geral do Lanexang United, clube do Laos no qual atuou por alguns meses. Na altura, quando se mudou para o Laos, a ideia do médio era garantir o passaporte e passar a atuar pela seleção do país natal da sua mãe, mas problemas burocráticos atrasaram a sua intenção e, aliado à cada vez menor vontade de treinar, Patafta tomou a decisão de se retirar oficialmente dos relvados.

"É uma paixão que tenho. Tive a oportunidade de ser diretor geral do Lanexang. Estamos a fazer as coisas muito bem no Laos e esperamos que conseguir mostrar o nosso talento a nível continental. Pareceu ser o passo certo para mim, senti que posso ter mais impacto aqui, nos bastidores, do que no relvado. A licenciatura em Direito ajuda-me, mas também estou a ganhar muita experiência na área. Não poderia estar mais feliz com o meu posto de momento", disse o antigo médio, ao portal ESPN FC, depois do sorteio da AFC Cup do próximo ano.

Vidas separadas

Na conversa com o ESPN FC, Patafta aproveitou para recordar a sua passagem pelo Benfica, lembrando a conversa que teve com os dirigentes do Benfica quando pediu para regressar à Austrália (para o Melbourne Victory). Na memória do antigo médio está também um outro jogador que chegou a Portugal na mesma altura. O brasileiro Anderson, que também fora apontado como enorme promessa mas que... também não deu certo.

"Disseram-me que, se voltasse, a minha carreira na Europa terminaria ali. Mas eu queria jogar regularmente e pensei que tudo iria correr bem... O Anderson assinou pelo FC Porto no mesmo dia em que eu me juntei ao Benfica. Ele ficou e acabou por ir para o Manchester United", recordou.

E estará Patafta arrependido dos passos que deu? "Não me arrependo de nada. Faria tudo de novo, provavelmente. Ter jogado na A-League irá ajudar-me se um dia for diretor por lá. Estou muito feliz aqui. Deu-me imenso trabalho, mas vejo que é tudo parte do processo. Sinto-me em casa. Espero ficar cá por muito mais tempo e ter muito sucesso no Lanexang", acrescentou.


Thank you to @jasondasey from @espn for the interview. Link to the article in my bio #Football #ESPN @thealeague

Uma foto publicada por Kaz Patafta (@kazpatafta) em

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0