Deixou o Brasil para ajudar ex-jogador do Spartak e agora arrisca 25 anos de prisão

Robson, contratado por família de Fernando, não sabia que tinha substâncias ilegais numa mala e foi apanhado

Esta é a história de um homem que partiu rumo a uma vida melhor, mas que acabou preso de forma inesperada e arrisca ficar assim durante... 25 anos. A trama tem como um dos protagonistas Fernando, médio do Beijing Guoan, que na altura dos acontecimentos jogava no Spartak Moscovo. Passamos a explicar a narrativa, descrita numa reportagem do 'Globo Esporte'.

Robson do Nascimento Oliveira, ex-fuzileiro naval, vivia no Brasil, com a mulher Simone Barros e a história começa a partir dela. Simone é cozinheira e recebeu uma mensagem de Sibele Rivoredo, sogra de Fernando e mãe de Raphaela, para que trabalhasse para a família do jogador. A proposta era aliciante financeiramente, mas Simone fez uma exigência: também teria de haver um emprego para Robson.

A família do jogador ficou convencida e Robson ajudaria como funcionário e motorista da casa. Juntos, Robson e Simone ganhariam aproximadamente 3 mil euros por mês, o que era visto como agradável pelo casal, que vivia com algumas dificuldades financeiras no Brasil.

Mas o pesadelo começou no dia em que os dois embarcaram. Antes da entrada no avião, no Aeroporto Tom Jobim, o motorista da família de Fernando, identificado como Leandro, surgiu com três malas, em que havia encomendas da família do jogador. Chegado a Moscovo, Robson foi travado pela segurança e numa das malas havia duas caixas de Mytedon, substâncias com metadona, útil para quem convive com dores, mas também utilizado no tratamento de recuperação para viciados em algumas drogas. A substância na Rússia é considerada ilegal e a quantidade  transportada era considerada como um "volume grande" de droga.

Segundo a denúncia que o levaria para os tribunais, Robson teve a intenção de preparar a mala com remédios escondidos. Simone ficou em pânico, mas a sogra de Fernando garantiu que a medicação era legal e tinha receita, sendo pertencente a William, sogro de Fernando, e à mulher de Fernando, Raphaela, que na altura estava grávida.

A receita foi mostrada, mas em território russo não serve de defesa. A acusação seguiu, mas o casal entrou no país e ainda trabalhou por alguns dias para a família de Fernando. Robson e Simone trataram durante 35 dias da casa, que estava vazia, pois a família tinha ido de férias. E foi um dia após o regresso dos dias de descanso que Fernando, Sibele e Raphaela encaminharam-se com Robson para uma esquadra. Robson prestou depoimento e acabou detido.

Apesar das promessas da família a Simone, a verdade é que Robson mantém-se preso há aproximadamente cinco meses. Só há poucas semanas é que a família e o advogado da mesma admitiram que os remédios eram mesmo para William, sogro de Fernando, e que Robson não tinha conhecimento de que transportava algo ilegal. De resto, o 'GloboEsporte', fala de testemunhas que referem que a mulher de Fernando já, por várias vezes, tinha feito várias encomendas a partir de grupos brasileiros e que já tinha sido avisada que esses medicamentos eram ilegais.

Atualmente, apenas Robson está na Rússia e arrisca uma pena de 25 anos de prisão.. Simone voltou ao Brasil e Fernando mudou-se para o Beijing Guoan neste mercado. A sogra, Sibele, voltou ao Brasil.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.