Edgar Ié disponível para passar a representar a Guiné-Bissau

Internacional jovem português poderá ter ainda a companhia de Carlos Mané e a ponte está a ser feita pelo... Pai de Ansu Fati

• Foto: Fernando Ferreira

O pai do jogador de origem guineense Edgar Ié, que representou Portugal nos escalões de formação até aos sub-23, revelou esta segunda-feira que o filho está disponível para passar a representar a seleção de futebol da Guiné-Bissau.

Miguel Ié, a residir em Portugal há vários anos, transmitiu a vontade do filho ao presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau, Carlos Teixeira, que se encontra em Portugal para contactos com jogadores de origem guineense para que possam representar a seleção do país.

A Guiné-Bissau está envolvida no apuramento para o próximo campeonato do Mundo, inserindo-se no Grupo I, ao lado da Guiné-Conacri, Marrocos e Sudão e ainda está apurada para a fase final do Campeonato das Nações Africanas (CAN) a disputar entre janeiro e fevereiro de 2022.

A Guiné-Bissau lidera o Grupo I do apuramento ao Mundial de Qatar, com quatro pontos, e na próxima jornada, que vai ser realizada no mês de outubro, enfrentará o Marrocos.

A disponibilidade de Edgar Ié em passar a representar a Guiné-Bissau foi confirmada pelo presidente da Federação guineense, que disse ainda estarem em curso as tramitações burocráticas para que o jogador possa ser convocado "o mais rapidamente possível".

Atualmente a jogar nos turcos do Trabzonspor, defesa central de 27 anos, formado no Sporting, nasceu na Guiné-Bissau, mas saiu do país ainda muito jovem.

O presidente da Federação de futebol da Guiné-Bissau, Carlos Teixeira, aproveitou as declarações à Lusa para adiantar que está a trabalhar no sentido de garantir a disponibilidade do também jogador de origem guineense Carlos Mané para representar a seleção do país.

Carlos Teixeira enalteceu o "papel fundamental" do antigo internacional guineense Bori Fati, pai da nova estrela do Barcelona, Ansu Fati, nos contactos com os jogadores que representaram Portugal nas camadas de formação, mas que agora poderão juntar-se à seleção da Guiné-Bissau.

"Agradeço profundamente ao Bori Fati, pai do jogador Ansu Fati, que é meu irmão, que me está a fazer estas pontes com o pai do Edgar Ié e com o pai do Carlos Mané, para que passem a jogar pela seleção nacional da Guiné-Bissau", afirmou Carlos Teixeira.

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas