EUA: João Meira torce por Giovinco

Ex-Belenenses ficou impressionado com craque do Toronto que vai discutir lugar na final

• Foto: Paulo Calado

Já imaginou, caro leitor, se algumas estrelas da NBA fossem seus vizinhos? E se diariamente se cruzasse com celebridades da sua série favorita? Pois bem, estes foram só dois capítulos de uma história única vivida por João Meira ao longo dos últimos 10 meses nos EUA. Em janeiro, quando o ex-Belenenses decidiu aceitar o convite do Chicago Fire, clube da MLS, estava longe de imaginar que iria tornar real o seu sonho… americano. Mas conseguiu. Dentro de fora de campo!

"Foi uma experiência incrível. O facto de se estar muito perto de todas as figuras públicas, a qualidade de vida que se tem e a tranquilidade que as pessoas demonstram é algo maravilhoso", garantiu o defesa de 29 anos, que tem mais um ano de contrato. Apesar de coletivamente a época não ter sido brilhante – o Chicago Fire terminou a fase regular no último lugar –, a aventura superou as expectativas de João Meira, que foi presença regular nas melhores equipas da semana, com muitos dos craques mundiais. "Com o Drogba, tentava saltar de cabeça e ele dominava no peito (risos)."

Esta madrugada, o costa-marfinense do Montreal Impact discute o título da conferência Este e o lugar na final da MLS com o Toronto de Giovinco, estrela que encheu as medidas ao português. "O Giovinco é o chamado MVP. É o melhor! Já gostava muito dele, mas é, de facto, um fora de série", frisou, recordando um dos jogos frente a Toronto , em que protagonizou um duelo aceso com o italiano. "Ganhei-lhe a bola várias vezes, mas foi complicado. Estava cego com ele. Ainda por cima, ganhou um penálti num lance em que nem lhe toquei. No final nem falámos, já nem o queria ver", referiu, entre risos.

Altidore fez-lhe elogio marcante

Entre os vários elogios que foi recebendo, João Meira garante que há um que deixou marca. "Frente a Toronto, estávamos a perder 2-1, mas o jogo corria-me bem. Numa paragem, o Altidore chegou-se ao pé de mim e perguntou: ‘Tu és de onde?’ Respondi-lhe que era português e ele disse-me: "Eu vi logo, nota-se. Tu jogas muito!" E eu, mesmo ficando sem palavras, lá agradeci. É bom quando nos reconhecem mérito", contou o defesa, cujo futuro ainda está em aberto. "Fui pai do segundo filho bem recentemente e, por isso, terei de pensar."

Por Fábio Aguiar
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0