O vice-presidente da Federação Russa de Futebol, Nikolai Simonyan, desvalorizou esta terça-feira a ameaça da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de o governo e a família real britânica boicotarem o Mundial'2018.

"Não é importante que as grandes entidades não estejam presentes, isso é problema delas. O importante é que a equipa venha e que queira estar presente na competição", afirmou Simonyan, em declarações à Interfax.

A primeira ministra britânica disse esta terça-feira que iria pedir à família real de Inglaterra que não estivesse presente no Mundial'2018, como parte das medidas governamentais contra a Rússia, devido ao envenenamento do antigo espião russo Sergei Skripal e da sua filha, em solo inglês.

Numa intervenção no parlamento, Theresa May anunciou a expulsão de 23 diplomatas russos do Reino Unido e a suspensão de contactos bilaterais com Moscovo.

O Mundial'2018 realiza-se na Rússia entre 14 de junho e 15 de julho.