Fernando Gomes: «FPF continuará disponível para ajudar a construir o novo edifício do futebol mundial»

Presidente da FPF feliz pela eleição de Infantino como presidente da FIFA

• Foto: Manuel Araújo

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) congratulou-se esta sexta-feira com a eleição de Gianni Infantino para a presidência da FIFA, depois de ter apoiado a candidatura do ítalo-suíço à substituição de Joseph Blatter. "Gianni Infantino realizou um trabalho extraordinário na UEFA, fundamental no desenvolvimento da organização e das federações. Nos últimos meses vimos como foi capaz de dialogar e construir pontes. Estamos certos de que estará à altura deste que será seguramente o desafio da sua vida", justifica o presidente federativo, Fernando Gomes.

Em comunicado, o dirigente regozija-se com o resultado de Infantino, considerando-o importante para o futebol, "um desporto de dimensão planetária, que enfrenta alguns problemas globais". "A FIFA é uma organização ferida, que necessita de uma liderança forte e credível. Foi grande a disponibilidade da FPF no sentido de construir uma solução sólida que ajudasse a mudar o organismo que dirige o futebol mundial. Há um ano, por ocasião da candidatura de Luís Figo, deixámos claro que era urgente discutir, debater e fazer diferente", recorda.

Fernando Gomes lembra que apoiou Infantino "desde a primeira hora" - Tiago Craveiro, presidente-executivo da FPF, foi mesmo diretor de campanha do novo presidente -, porque o organismo que lidera entende que se trata de "alguém capaz de implementar as reformas de que a FIFA necessita, em defesa do futebol mundial".

"Por saber o que se passava na FIFA, a FPF tornou pública a sua discordância em relação ao processo eleitoral de 29 de maio, próprio de uma organização que estava desligada da realidade e fechada sobre si própria. Uma organização que corria o risco de implodir", critica.

O comunicado lembra que nessa altura a federação "prometeu continuar a pugnar por uma FIFA diferente, uma FIFA democrática e transparente, que coloque os interesses do futebol acima de todo e qualquer interesse pessoal". "A eleição de Infantino representa uma nova oportunidade para a FIFA e a FPF continuará disponível para ajudar a pensar e construir o novo edifício do futebol mundial", conclui.

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, já tinha reagido, considerando que Infantino é o homem certo para lidar com os desafios futuros da FIFA.

Gianni Infantino venceu as eleições à segunda volta, sucedendo ao suíço Joseph Blatter. O secretário-geral da UEFA recebeu, na segunda volta, 115 votos, ficando à frente do xeque Salman bin Ebrahim al-Khalifa (88) e do príncipe jordano Ali bin al Hussein (quatro), enquanto o francês Jérôme Champagne não recolheu qualquer voto.

Infantino é o nono presidente da história da FIFA, sucedendo a Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.