FIFA insta federação da Guiné-Bissau a organizar eleições até 30 de setembro

Organismo esclarece que o líder cessante está proibido de se candidatar

• Foto: Record
A FIFA instou a Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB) a organizar eleições para escolha do novo presidente do organismo, o mais tardar, até 30 de setembro e esclareceu que o líder cessante está vedado de se candidatar.

Através de um comunicado datado de sexta-feira e assinado por Veron Omba, diretor da divisão de associações membros, a que a agência Lusa teve acesso, este sábado, a FIFA considera ilegal a assembleia-geral realizada no início deste mês por alguns associados da FFGB, que alegam ter elegido Fernando Tavares "Bené" líder da instituição.

"Relativamente à assembleia-geral de 8 de agosto de 2020, constatámos que não foi convocada de acordo com os estatutos da FFGB atualmente em vigor, nomeadamente à luz do artigo 28 que diz que o local, a data e a ordem do dia da assembleia eletiva devem ser comunicados aos membros da FFGB pelo menos um mês antes da sua realização. Não foi esse o caso, até onde sabemos", lê-se no comunicado.

Para a FIFA, e à luz dos seus estatutos, "nenhum órgão eleito na reunião de 08 de agosto de 2020, nem qualquer decisão tomada durante a mesma, são reconhecidos pela FIFA, visto que o procedimento democrático exigido e previsto nos estatutos não foi respeitado", sublinha ainda o documento da FIFA enviado à secretária-geral da FFGB, Virgínia da Cruz.

Em relação à nova data, a FIFA insta a FFGB a levar em conta as precauções relativas à covid-19 na Guiné-Bissau, mas também considera a data de 7 de novembro, inicialmente proposta pela federação, como sendo longa demais para realizar novas eleições.

"Portanto, instamos o FFGB à organizar uma Assembleia-Geral eletiva até 30 de setembro de 2020, a fim de estabilizar a situação política dentro da federação o mais rápido possível", enfatiza o comunicado assinado por Veron Omba.

No mesmo documento, a FIFA realça o facto de o presidente cessante, Manuel Irénio Nascimento Lopes, estar suspenso de todas as atividades relacionadas com o futebol (administrativa, desportiva e outras) a nível nacional e internacional por um período de 10 anos pelo Comité de Ética, em 24 de julho de 2020.

"Como uma associação membro da FIFA, a FFGB está vinculada a esta decisão e deve garantir que o Sr. Nascimento não esteja de forma alguma envolvido nos assuntos da federação, seja ao nível do Comité Executivo cessante ou nas eleições atuais", avisa a FIFA.

A secretária-geral da FFGB, Virgínia da Cruz, disse à Lusa que a instituição vai analisar as recomendações da FIFA e marcar uma data para a eleição "conforme foi recomendado".

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas