FIFA: Tokyo Sexwale acusado de fazer campanha discreta para a presidência

Federação Sul-Africana pediu explicações ao seu candidato

• Foto: Getty Images

A Federação Sul-Africana de Futebol (SAFA) pediu explicações ao seu candidato Tokyo Sexwal sob sua a campanha discreta para as eleições à presidência da FIFA, a realizar a 26 de fevereiro, refere hoje a agência AFP.

"O comitê executivo nacional, que é o órgão de decisão mais importante da federação, manifestou a sua preocupação sobre a campanha discreta de Sexwale e pediu-lhe explicações", declarou o porta-voz da SAFA, Dominic Chimhavi.

A SAFA acusa o candidato Tokyo Sexwale de estar a desenvolver uma campanha pouco visível nos órgãos de comunicação social e pretende reunir com ele antes da assembleia da Confederação Africana de Futebol, a 05 de fevereiro, em Kigali.

"Há algumas coisas que precisamos de discutir com ele [Sexwale], particularmente a campanha que tem vindo a desenvolver", disse ao semanário sul-africano City Press o presidente da SAFA, Dennis Mumble.

O empresário Tokyo Sexwale, de 62 anos, que foi companheiro de prisão de Nelson Mandela, integra um lote de cinco candidatos à sucessão do suíço Joseph Blatter, demitido das suas funções a 29 de maio de 2015, na sequência de vários escândalos de corrupção que abalaram a FIFA.

O príncipe jordano Ali bin al Hussein, ex-vice presidente da FIFA, o sheik Salman bom Ebrahim, da família real do Bahrain e presidente da Confederação asiática, o suíço Gianni Infantino, número dois da UEFA, e o francês Jérôme Campagne, antigo vice-secretário-geral da FIFA, são os outros quatro candidatos.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.