Glória do Liverpool faz revelação: «Fui obrigado a matar»

Bruce Grobbelaar fez revelações inéditas

Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar
Bruce Grobbelaar

Bruce Grobbelaar fez revelações inéditas numa entrevista à BBC. O antigo guarda-redes, que defendeu a baliza do Liverpool durante 13 temporadas, falou de um passado que não gosta e que ainda o marca.

Bruce Grobbelaar lutou na guerra civil no exército da Rodésia, atualmente Zimbabué, nos anos 70 e as recordações daqueles tempos ainda hoje o assombram. 

"As recordações atenuaram-se um pouco, mas há momentos nos quais ainda estou com os meus amigos em África e eles ainda gostam de falar sobre isso. A mim não", revela, acrescentando: "Depois de falar disso, durante un periodo de duas ou três semanas tenho suores frios."

Grobbelaar viu três dos seus amigos morrerem à sua frente e foi "obrigado a matar." Foi recrutado inicialmente por 11 meses, mas o pesadelo viria a transformar-se em dois anos.

O pesadelo não foi esquecido mas reconhece que a salvação veio dos relvados: "o futebol tirou-me a guerra da cabeça".

Esta não é a primeira vez que o antigo guarda-redes fala sobre os seus tempos na guerra civil. "Aos 18 anos matei o primeiro homem", escreveu na sua autobiografia.


Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.