Record

Griezmann crítica o prémio 'The Best'

Avançado agastado por não ser finalista

• Foto: Reuters

Depois de o selecionador da França, Didier Deschamps, ter criticado a ausência de jogadores gauleses nos três nomeados ao prémio ‘The Best’, foi agora a vez de Antoine Griezmann demonstrar insatisfação por não ver o seu nome na corrida ao prémio da FIFA que anualmente destaca o melhor jogador do Mundo.

"Que tenho de fazer mais? Comparando 2016 com este ano, acho que devo estar entre os três finalistas. Em 2016 perdi duas finais e estava entre os três melhores. Este ano, ganhei troféus e fui importante em momentos decisivos. Acho que devia estar nos eleitos", confessou o avançado francês, de 27 anos, em entrevista ao ‘L’Équipe’.

A conquista do Mundial na Rússia ao serviço dos bleus dava a hipótese de Griezmann figurar nos eleitos a vencer a prémio, mas tal não sucedeu. Algo atípico, aliás, já que desde que a FIFA nomeia o melhor do planeta, conta sempre, em ano de Campeonato do Mundo, com um vencedor da prova. Será a primeira vez que a tendência é quebrada e o jogador do Atlético Madrid sente desilusão por isso acontecer.

"É um prémio de prestígio para um futebolista e não há nada superior a isso. Somos campeões do Mundo e não há franceses nos eleitos. São escolhas, mas não existir lá um é surpreendente", frisou.

De resto, comparativamente aos três finalistas à conquista do troféu (Ronaldo, Salah e Modric), o francês arrecadou, em 2017/18, mais títulos do que os visados, mas acaba por perder a nível estatístico.

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

M