Guarda-redes preso durante a quarentena garante: «A droga não era minha»

Argentino Carlos Franco garante que apenas saiu de casa para comprar um medicamento para o filho

• Foto: Instagram

O argentino Carlos Franco, guarda-redes do Belgrano, foi preso por conduzir em contramão durante a quarentena, sem ter a necessária autorização para circular. Mas, pior do que isso, a polícia encontrou cocaína no veículo e agora o futebolista resolveu contar a sua versão.

Em declarações à 'TyC Sports', Carlos Franco contou que teve de sair de casa por causa de um problema de saúde do filho. "A primeira coisa que fiz foi procurar uma farmácia. A questão é que não me dei conta que entrei por uma rua em contramão e a polícia pensou que eu estava bêbado", explicou.

O jogador acrescentou ainda que tinha saído do carro quando os agentes encontraram a droga e que "não estava a ver o que eles estavam a fazer". Sobre a droga deixou uma certeza: "Não era minha".

O seu empresário já veio a público garantir que o carro era usado por muita gente. O guarda-redes confirmou que habitualmente empresta a viatura a "primos e amigos", garantindo que tem "muita confiança neles". Seja como for, não deve escapar a um processo judicial.

O clube revelou, por sua vez, que ainda não tomou uma posição relativamente ao atleta, pois está à espera de ver o que fará a justiça.  

10
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0