Guiné-Bissau: Clubes pedem demissão de presidente da federação

Em causa as suspeitas de corrupção que recaem sobre Manuel Lopes

Vinte e sete dos 38 clubes inscritos na Federação Guineense de Futebol (FGF) pediram a renúncia do presidente do organismo, Manuel Lopes, alvo de investigações por suspeitas de corrupção, indicou este sábado Sadjo Seidi, um porta-voz dos clubes.

Em conferência de imprensa, em Bissau, um grupo de dirigentes apresentou uma petição na qual invocaram alegados factos que sustentam suspeitas de corrupção na federação e ainda anunciaram os motivos pelos quais decidiram retirar confiança à atual direção da instituição.

Em nome do coletivo que se assume como defensor da verdade desportiva, Sadjo Seidi afirmou que os 27 clubes e duas associações subscritores da petição "não podem continuar a ser dirigidos por uma federação cujos principais membros são alvos de instigações judiciais por suspeitas de corrupção".

O presidente da FGF, Manuel Lopes, e a secretária-geral, Virgínia Mendes, estão a ser investigados pelo Ministério Público por alegadas práticas de corrupção.

Os dois foram acusados por um ex-vice-presidente da federação de terem desviado, em proveito próprio, mais de mil milhões de francos CFA (cerca de 1,5 milhões de euros).

As verbas seriam fundos da FIFA e da CAF (Confederação Africana de Futebol) destinadas ao desenvolvimento do futebol na Guiné-Bissau.

A Lusa tentou, sem sucesso, obter a reação dos membros da federação.

A petição dos 27 clubes e duas associações filiadas na federação será agora entregue ao Governo, Ministério Público, Presidente da Guiné-Bissau e à própria federação, indicou o porta-voz do coletivo dos clubes.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0