Honras de estado e número colossal de pessoas: o plano das cerimónias fúnebres de Maradona

Despedida do astro argentino será mesmo em grande

• Foto: Reuters

A despedida de Diego Armando Maradona terá a grandeza e, ao mesmo tempo, a simplicidade que caracterizaram a vida do astro argentino, que morreu esta quarta-feira, aos 60 anos. O 'Olé' revelou o plano para as cerimónias fúnebres de 'D10S', que terá honras de estado.

Maradona será assim velado durante 48 horas na Casa Rosada, a sede da presidência da República Argentina, em Buenos Aires. Uma homenagem que será aberta a todos, o que significa que são esperadas milhões de pessoas nesses dois dias para dizerem adeus ao seu maior ídolo.

Centenas de pessoas fazem fila para reservar lugar no velório de Maradona
Alberto Fernández, presidente da Argentina, garantiu que Maradona "terá a despedida que merece". "Quando pensei em abrir a Casa Rosada foi porque foi nestes balcões que Maradona surgiu com a taça do Mundial'1986 e também onde saudou a população depois da final no Mundial de 1990. Quero que todos os argentinos que assim o desejem possam despedir-se dele", sublinhou o chefe de Estado.

A Covid-19 é naturalmente um obstáculo mas Fernández admite a presença de um enorme número de pessoas: "Não podemos esquecer-nos da pandemia e por isso é necessária organização. Por isso é que estamos a tentar encontrar um local devidamente arejado, para que milhões possam dizer adeus."

Maradona é homenageado em todo o Mundo mas Nápoles é caso à parte: as imagens falam por si
Argentinos em Tigre, onde Maradona faleceu
Junto ao Estádio Azteca, no México, onde foi campeão mundial em 1986
Em Lanús, na Argentina
Junto ao estádio La Bombonera, casa do Boca Juniors
Homenageado nos jogos da Champions
Em Buenos Aires
Junto ao estádio do Argentinos Juniors, onde começou a carreira profissional em 1976, com 15 anos
Junto ao obelisco, um dos monumentos mais conhecidos de Buenos Aires
Argentinos em Tigre, onde Maradona faleceu
Junto ao Estádio Azteca, no México, onde foi campeão mundial em 1986
Em Lanús, na Argentina
Junto ao estádio La Bombonera, casa do Boca Juniors
Homenageado nos jogos da Champions
Em Buenos Aires
Junto ao estádio do Argentinos Juniors, onde começou a carreira profissional em 1976, com 15 anos
Junto ao obelisco, um dos monumentos mais conhecidos de Buenos Aires
Argentinos em Tigre, onde Maradona faleceu
Junto ao Estádio Azteca, no México, onde foi campeão mundial em 1986
Em Lanús, na Argentina
Junto ao estádio La Bombonera, casa do Boca Juniors
Homenageado nos jogos da Champions
Em Buenos Aires
Junto ao estádio do Argentinos Juniors, onde começou a carreira profissional em 1976, com 15 anos
Junto ao obelisco, um dos monumentos mais conhecidos de Buenos Aires

Por Record
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.