Infantino: «O futebol é mais do que a Europa e a América do Sul»

Justifica alargamento do Mundial a 48 selecções

• Foto: Reuters

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, considerou esta terça-feira que a decisão do Conselho do organismo em alargar o Mundial de futebol para 48 seleções, a partir de 2026, permitirá a um maior número de países "sonhar" com o apuramento.

"Temos que moldar o Campeonato do Mundo ao século XXI, o futebol é mais do que a Europa e a América do Sul", sustentou Gianni Infantino, defendendo que "um maior número de países terá a hipótese de sonhar".

Hoje, o Conselho da FIFA, reunido em Zurique, decidiu que a edição de 2026 terá 16 grupos de três equipas e que se realizará no mesmo período de tempo atualmente dedicado ao formato de 32 seleções.

Infantino defendeu ser uma solução vital, mas recusa a ideia de que um Mundial alargado dure mais tempo do que o que vigora agora.

Segundo o responsável máximo do futebol mundial, esta solução "traz benefícios sem aspetos negativos" e "cada jogo será decisivo", em alusão ao facto de cada um dos grupos ter três seleções.

Nenhuma decisão foi tomada em relação às 16 vagas suplementares , nomeadamente em relação à sua distribuição por Confederações, mas Infantino explicou que todos "terão mais".

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.