Japão: Rui Pedro Gaivoto ruma ao Shonan Bellmare

Passa a coordenador das 17 escolas do clube

• Foto: Facebook Rui Pedro Gaivoto

Rui Pedro Gaivoto, treinador de 34 anos que na última temporada orientou o Mação, no Campeonato de Portugal, aceitou a proposta de ser coordenador de 17 escolas de formação do Shonan Bellmare. A Record, o jovem técnico falou sobre este novo desafio, o qual, apelida de "enorme" e de "grande responsabilidade".

"A responsabilidade é grande, desde logo pela confiança que o clube e os seus responsáveis depositaram em em mim, depois de algumas conversas. Responsabilidade essa que se alagar ao facto de ir representar uma classe, os treinadores portugueses que tão bem têm trabalhado pelo mundo fora", sublinhou, tendo depois explicado como surgiu a oportunidade: O meu empresário, Kazuaki Maeda, é uma pessoa muito bem relacionada com o futebol japonês - foi dos primeiros jogadores profissionais naquele país, a serviço do atual FC Tokyo - e numa viagem que fiz pela Ásia, em Maio, apresentou-me aos responsáveis do clube. Trabalhei um dia com equipas da formação, e depois, mais tarde surgiu uma abordagem sobre uma eventual hipótese de trabalhar lá".

Rui Pedro Gaivoto realça que não teve grandes dúvidas em tomar uma decisão e até explica o que o levou a aceitar deixar o Ribatejo para se mudar para o Japão. "Acima de tudo, o país e o meio que o envolve: A cultura , o respeito pelos outros, a qualidade dos jogadores japoneses que são muito inteligentes e com uma capacidade de aprendizagem acima da média. Num treino que fiz com os miúdos do Shonan Bellmare, apenas com um quadro táctico e desenhos consegui fazer com eles exercícios algo complexos", revelou, não deixando assinalar "a grande vontade que os responsáveis do clube mostraram em contar comigo na sua estrutura".

É no dia 29 de agosto que Gaivoto parte para aquela que é, até ao momento, a grande 'viagem' da carreira ena bagagem leva objetivos bem definidos. "Melhorar a capacidade individual e coletiva dos jogadores na aprendizagem e consolidação dos princípios do jogo de futebol, consoante o seu estado evolutivo. Aliado a isso fazer um planeamento a longo prazo com todos os aspetos a trabalhar e mantendo o foco sempre no momento atual de cada jogador", vincou o técnco que tem como referência José Mourinho, embora seja um "admirador da personalidade de Diego Simeone e Jurgen Klopp".

O desafio que Gaivoto tem pela frente é "exigente" e "aliciante", mas Rui Pedro Gaivoto mostra-se bastante entusiasmado com aquilo que tem pela frente, até permitirá continuar a evoluir como treinador. Aquilo que pretende este apaixonado pelo futebol: "O que mais ambiciono é estar feliz a trabalhar naquilo que é a minha paixão pelo futebol. O contexto, escalão, competição, país acaba por ser o menos importante, desde que me sinta realizado naquilo que estou a fazer. Essa será sempre a minha preocupação. Claro que aos 40 anos gostaria de estar no melhor patamar possível, sonhar mesmo com o topo, mas no futebol por vezes nem sempre as oportunidades surgem de acordo com o que esperamos, portanto irei trabalhar muito para que o destino se encarregue me dar dar aquilo que eu merecer em cada momento", reforçou a Record.

Por Valter Marques
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.