José Morais: «Vitória histórica para o clube»

Português conduziu o Karpaty Lviv à vitória no terreno do poderoso Dínamo Kiev

Com três jogos no comando técnico do Karpaty (Ucrânia), José Morais conquistou a primeira vitória e logo no terreno do todo poderoso Dínamo Kiev. Conquista que valeu ao português a eleição de treinador da semana, feita por parte da associação de treinadores de Ucrânia. "Foram três pontos muito importantes. Uma vitória histórica para o clube, porque nunca tinham ganho ao Dínamo Kiev. Ainda para mais conseguimos essa vitória fora de casa. Foi importante também para o grupo, porque estamos no início e permite de algum modo que a equipa e os jogadores tenham confiança no trabalho que tem sido feito. O Dínamo não é uma equipa qualquer. São fortes e a maioria dos jogadores são internacionais. É uma equipa com peso e poder. A forma como ganhámos foi convincente", frisou o treinador a Record.

Leões podem espreitar

Na próxima jornada da Liga ucraniana, o Karpaty terá pela frente o Volska Poltava, adversário do Sporting na Liga Europa. José Morais, de 53 anos, assegurou que os ucranianos são "uma boa equipa" e deixou um conselho para os leões. "Reforçaram-se com dois jogadores africanos agora no final do mercado. Têm um lateral-esquerdo que é muito bom e também jogadores no meio-campo com alguma qualidade. É uma equipa que não se pode comparar com o poderio do Sporting, mas nem sempre o favoritismo é fator desequilibrador. Nós vamos receber o Volska antes do Sporting e é uma boa oportunidade para verem o adversário. Vimos o que aconteceu com o Sp. Braga. As equipas superam-se nas competições e no jogo, porque os jogadores ucranianos têm uma entrega muito grande ao jogo. Nós vamos tentar vencer, claro. Jogamos em casa e queremos mais uma vitória", realçou o treinador, que, na conversa com o nosso jornal, não poupou nos elogios à cidade de Lviv. "É uma cidade histórica e muito bonita. Organizada e com muitos turistas de várias nacionalidades. O clima foi uma surpresa, com temperaturas a rondar os 30o", destacou o português.

Castelhano é arma para comunicação

Dos 28 jogadores que José Morais tem à sua disposição, 19 são ucranianos. A troca de ideias através da comunicação até poderia ser uma grande dificuldade, mas acaba ultrapassada por um tradutor que fala... espanhol. "São jogadores que não falam inglês. Apenas há dois que entendem mais ou menos o inglês. Um deles é ucraniano e o outro sérvio. Mas há um dos jogadores ucranianos que esteve em Espanha e entende o castelhano. para além disso, conto com a ajuda de um tradutor que traduz de espanhol para ucraniano. Até agora tem tudo corrido com serenidade até porque tenho alguma experiência com tradutores e comunico de forma mais eficaz com eles", explicou.

Por André Ferreira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Internacional

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.